Economia

Governo do Estado reduz o déficit nas contas e fecha setembro com R$ 69 milhões

O governo de Mato Grosso informou, hoje, que fechou o mês de setembro com um déficit de R$ 69,6 milhões, diferença de tudo que foi arrecadado, o que foi pago e as despesas não pagas no mês. Em agosto o déficit foi de R$ 129 milhões. Desde janeiro, o governo vem reduzindo o montante do ‘rombo’ nas contas.

Mês passado, o Estado arrecadou R$ 1.379 bilhão somados aos R$ 76 milhões, que constavam no saldo da conta única no dia 1º. O pagamento dos salários dos servidores ativos no valor de R$ 308,7 milhões e dos inativos no valor de R$ 197,7 milhões.

Com repasses obrigatórios aos poderes, referente ao duodécimo, foram R$ 198,3 milhões. Para o Tribunal de Justiça foi destinada a quantia de R$ 88,2 milhões, para a Assembleia Legislativa R$ 41,3 milhões, Ministério Público R$ 29,1 milhões, para o Tribunal de Contas do Estado R$ 28,7 milhões e para a Defensoria Pública R$ 10,7 milhões.

Para as 141 prefeituras de Mato Grosso, no mês de maio, o valor repassado foi de R$ 246,3 milhões.

A Educação recebeu de recurso referente ao Fundeb a quantia de R$ 125,4 milhões, além de R$ 9,3 milhões também de repasse obrigatório. Para a Saúde foram R$ 51,7 milhões e para o custeio das secretarias de Estado o valor foi de R$ 86,8 milhões.

O Estado também fez o pagamento de dívidas bancárias na quantia de R$ 135, 6 milhões. Além desses valores, foi bloqueado judicialmente a quantia de R$ 11,7 milhões e para as contas especiais (Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal de Mato Grosso, Mato Grosso Saúde e MT Prev) foi repassado o valor de R$ 16.431.156.

Em investimentos (excluindo Fethab/financiamentos), o Estado destinou a quantia de R$ 6, 7 milhões.

Ainda cumprindo os repasses obrigatórios, o Estado repassou ao Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Imad (Instituto da Madeira do Estado de Mato Grosso), Imafir (Instituto Mato-grossense do Feijão, Pulses, Grãos Especiais e Irrigação) e Detran a quantia de R$ 11,1 milhões.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)