Economia

Fomento comercial mais presente nas empresa em Mato Grosso

No mundo dos negócios o capital é um fator preponderante para que qualquer tipo de empreendimento seja bem-sucedido. Contudo, obter crédito não tem sido fácil nos últimos anos, em especial, junto aos bancos, onde a restrição ao crédito e o compliance são uma realidade incisiva, mesmo com a queda da inflação e a redução da taxa básica de juros.

Neste contexto, os empresários de pequeno e médio portes que precisam de capital de giro e liquidez nos títulos recebíveis podem contar com os serviços do fomento comercial, que são oferecidos por 2 tipos de empresas, as factorings -que também são chamadas de fomento mercantil – e as securitizadoras.

Em 2016, as 53 empresas de fomento comercial movimentaram mais de R$ 150 milhões em Mato Grosso, valor 5,63% maior que no ano anterior, quando foram R$ 142 milhões. De acordo com a Associação Nacional de Fomento Comercial (Anfac), foram movimentados mais de R$ 155 bilhões no Brasil em 2016, 3,3% a mais que no ano anterior, quando foram R$ 150 bilhões.

A presidente do Sindicato das Empresas de Factoring de Mato Grosso (Sinfac/ MT), Patrícia Ferreira Borbon Neves explica que tanto o fomento mercantil (factoring) como as securitizadoras, adquirem recebíveis empresariais mercantis ou de prestação de serviços, resultantes de vendas realizadas a prazo pelas empresas clientes (originadores). Contudo, a forma de aquisição é a única semelhança entre as duas atividades, pois operacionalmente a finalidade é totalmente diversa.

A primeira trabalha com capital próprio, presta serviços em caráter contínuo, de alavancagem dos negócios de pequenas e médias empresas, desde a prestação de serviços até a compra de ativos financeiros.

Já a securitizadora, de acordo com Patrícia, adquire os ativos e os securitiza, utilizando como lastro (capital dos investidores) para a emissão de títulos e valores mobiliários (debêntures), na qual há uma distribuição dos riscos entre os investidores “qualificados” que os compram, não acumulando esses riscos em um único credor. Essa é uma definição clássica que surgiu nos anos de 1970, quando as securitizadoras surgiram a partir da criação de créditos decorrentes de valores mobiliários.

“As factorings são regulamentadas por diversas leis, apesar de ainda não possuir uma lei específica que regulamente o setor. Contudo, o fomento mercantil é uma atividade que garante aos clientes – empresários de pequeno e médio portes -condições de gerenciar a saúde financeira de suas atividades empresariais de forma célere, eficaz e inteligente”, destaca Patrícia Neves.