Economia

Fecomércio aponta redução de 10% na inadimplência dos consumidores

A inadimplência recua 10% em Cuiabá no período de um ano. É o que indica levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio). De 57,4 mil famílias que estavam com o nome negativado em novembro do ano passado, agora são 51,7 mil. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do consumidor (Peic) aponta ainda que 13,4% dos entrevistados não terão condição de pagar as contas em atraso no mês seguinte.

O mototaxista Alexsandro Santos é um dos trabalhadores que se sente feliz em colocar as contas em dia. Ele relata que no ano passado sofreu um acidente e ficou inabilitado por 4 meses. Sem trabalhar, as contas começaram a se acumular e foi necessário planejamento e corte de gastos para recolocar a vida em ordem.

Com cerca de 80% das dívidas pagas, ele planeja terminar de quitá-las até março do próximo ano. “Estava com a corda no pescoço e agora estou conseguindo respirar. Depois disso, pretendo programar uma viagem para o meio do ano para descansar um pouco”.

De acordo com a pesquisa da Fecomércio, 41% dos consumidores com contas atrasadas estão inadimplentes há mais de 90 dias. A maior parte deles (29,6%) está com a renda comprometida com as dívidas pelos próximos 6 meses e 69,9% possuem débitos no cartão de crédito e 32,7% nos carnês.

Para a entidade, a queda da inadimplência é positiva para o comércio. O aumento do endividamento reforça o crescimento do consumo das famílias com responsabilidade e compatível com a renda, o que possibilita a aquisição de bens. “O recuo do percentual das famílias com contas em atraso reflete, além da redução do custo do crédito, a sazonalidade favorável do período em relação ao emprego e à renda. Um dos fatores que contribui para este resultado é o aumento do emprego temporário”, avalia a federação.

A Gazeta