Economia

Empresa vai investir R$ 5 milhões para implantar indústria de compostagem em Nova Mutum

O vice-prefeito Leandro Félix, anunciou o início das operações de uma empresa paranaense em Nova Mutum, que atua no tratamento de resíduos agroindustriais em Toledo (PR). A companhia está investindo mais de R$ 5 milhões em equipamentos para implantação de indústria de compostagem em uma área localizada a 40 quilômetros do núcleo urbano, margens da BR-163.

O empresário Fernandi Oliveira, explica que a empresa veio para Mato Grosso a partir do incentivo que recebeu da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente. “Nós já estamos atuando em algumas frentes em Mato Grosso desde 2014. O secretário Renato Kremer nos procurou em Toledo, ofereceu todo apoio e incentivo e a partir de então estávamos trabalhando na aquisição da área e as licenças necessárias para que pudéssemos iniciar as operações recebendo os resíduos orgânicos”, relata.

Fernandi também cita que a empresa tem firmado uma parceria com o município com relação a destinação do lixo orgânico gerado pela prefeitura. “Podas de árvores, cortes de grama e todo resíduo orgânico segregado gerado pelo município será recebido pela nossa unidade que transformará todo esse material em adubo orgânico, retornando-o para a Secretaria de Agricultura utilizar nos projetos de paisagismo e até mesmo para agricultura familiar. Este é um material rico em nitrogênio e fósforo de potássio ideal para ser utilizado na lavoura, já que o mesmo aumenta a produtividade”, afirma.

O vice-prefeito Leandro Félix destacou que a chegada da companhia faz parte do projeto do Parque Tecnológico que está em fase inicial, e cita que muitas empresas que já estão instaladas em Nova Mutum tinham dificuldade de destinarem de maneira correta os resíduos gerados. “Esse é o reflexo dos nossos esforços quanto ao projeto do Parque Tecnológico. Várias empresas sinalizam investimentos em nossa cidade”, disse Leandro, apontando ainda que a companhia “irá solucionar uma dificuldade existente neste setor, a dificuldade no descarte dos resíduos”.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)