Economia

Cuiabá demite mais de 140 trabalhadores e volta a ter saldo negativo na geração de empregos

A capital de Mato Grosso voltou a demitir mais trabalhadores, em maio. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados, ontem, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, foram fechadas 144 vagas a mais, resultado de 6.935 demissões e 6.791 contratações. Em março e abril, Cuiabá gerou 194 e 469 vagas a mais, respectivamente.

No mês passado, o setor de serviços teve o pior desempenho ao fechar 161 vagas a mais. Foram 3.456 trabalhadores mandados embora e 3.295 admitidos. O comércio também fechou 45 vagas a mais, saldo de 2.012 demissões e 1.967 contratações. Os serviços industriais de utilidade pública encerraram 25 vagas ao demitir 81 e contratar 56 pessoas. Já a administração pública fechou uma vaga.

Por outro lado, quatro setores geraram empregos: A indústria de transformação abriu 43 vagas a mais, saldo de 540 contratados e 497 mandados embora. A construção civil gerou 28 novas vagas, resultado de 861 contratações e 833 demissões. A agropecuária também teve saldo positivo ao gerar 16 vagas a mais. O extrativista mineral gerou 1 vaga a mais.

Mesmo com resultado negativo, as empresas e indústrias de todos os segmentos comercias de Cuiabá geraram 2.952 novas vagas com carteiras assinadas em 12 meses, saldo de 81.254 contratações e 78.302 demissões. De janeiro a maio, 34.527 pessoas foram contratadas e 33.508 mandados embora gerando saldo de 1.019 vagas.

Conforme Só Notícias já informou, Mato Grosso teve novo saldo positivo na geração de empregos, no mês passado. Foram geradas 1.755 vagas a mais, resultado de 33.046 trabalhadores contratados e 31.291 demitidos.

Sinop também teve novo saldo positivo na geração de empregos. As indústrias e empresas contrataram 303 pessoas a mais, em maio, saldo de 2.353 trabalhadores admitidos e 2.050 demitidos.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: Marcos Vergueiro/arquivo)