Economia

Comissão manifesta intenção de expansão de ferrovias até Sorriso

Sorriso, um dos maiores produtores de soja e milho no Brasil, está formando comissão pró-logística com representantes do executivo, legislativo e diversas entidades para que os trilhos das ferrovias cheguem até o município ou que seja instalado o mais rápido possível nas cidades vizinhas gerando redução no custo logístico para o agro. O grupo também defende livre concorrência para que o sistema de monopólio não se instale gerando redução insatisfatória no custo da escoação.

“Ter os terminais dentro do município é favorável, mas nesse primeiro momento não é o objetivo maior, é a vinda da Fico (Ferrovia Centro-Oeste) até Lucas ou Sorriso, que fique num traçado que posso atender a demanda Médio Norte e Norte. Também temos que criar a concorrência porque se ficar só no monopólio até Lucas, a gente sabe que o desconto não é tudo aquilo que a classe produtora precisa. O escoamento seja ele do lado sul, mas também temos que ter o escoamento da safra da região Norte. Que se cria a concorrência legal para baixar o frete”, avaliou o secretário de Governom Hilton Polesello, em entrevista, ao Só Notícias.

A Ferronorte, por exemplo, tem a principal base em Rondonópolis (fazendo ligação com São Paulo) e a articulação e levar os trilhos até Cuiabá e em seguida a Lucas. A Ferrogrão, no projeto do governo federal, de companhias do agronegócio, ligará Itaituba (PA) até Sinop (cerca 1,1 mil km) e na segunda etapa a Lucas do Rio Verde (mais 150 km).

O governo federal planeja fazer a concessão para a iniciativa privada ainda este ano. Já a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) ligará Água Boa, passando por Lucas do Rio Verde, ao município de Mara Rosa (GO), onde está a Norte-Sul.

A Rumo Logística tem concessão para operar 12 terminais de transbordo e seis portuários, administra cerca de 14 mil quilômetros de ferrovias no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Tocantins.

Só Notícias/David Murba (foto: Lenine Martins/arquivo)