Economia

Cofre cheio: governo Lula bate novo recorde de arrecadação de impostos

A arrecadação de impostos e tributos federais atingiu R$ 27,094 bilhões em maio, o melhor resultado para o mês da história. Segundo a Receita Federal, a arrecadação teve um crescimento real (já descontada a inflação) de 2,02% sobre o mesmo mês do ano passado.

No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, a arrecadação chegou a R$ 144,145 bilhões, o melhor resultado para o período. Já considerando os efeitos da inflação, o resultado sobe para R$ 146 bilhões, um crescimento de 5,24% sobre o mesmo período do ano passado (R$ 138,734 bilhões).

Segundo a Receita, essa queda entre abril e maio é normal em decorrência dos efeitos sazonais, como o pagamento da primeira cota ou cota única do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física), do IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) referente à apuração trimestral encerrada em março –o recolhimento do imposto ocorre no mês seguinte.

No mês passado, o Imposto de Renda e a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) foram os tributos que mais contribuíram para a arrecadação de maio.

A arrecadação de IR somou R$ 8,747 bilhões, um aumento de 12,55% sobre maio de 2004. No entanto, na comparação com abril, foi registrada uma queda de 22,18%. Já a Confins contribuiu com R$ 7,045 bilhões para o resultado de maio, uma queda de 7,99% sobre o mesmo mês do ano passado e de 1,75% sobre abril.