segunda-feira, 26/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Caged aponta que mulheres no Mato Grosso ocuparam 82% das novas vagas de emprego em outubro

PUBLICIDADE
Redação Só Notícias (foto: assessoria)

Mato Grosso gerou 1,8 mil novas vagas de trabalho no mês de outubro de 2023, sendo que 82% delas foram ocupadas por mulheres. As informações são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, referentes aos resultados do mês de outubro. Ao todo, foram contratadas 50 mil pessoas e demitidas 48 mil, naquele mês, gerando saldo positivo de 1,8 mil vagas. Deste total, 1,5 mil foram ocupadas por mulheres e 326 por homens.

O perfil das mulheres contratadas é formado por jovens de até 24 anos, com ensino médio completo. Cerca de 73% das trabalhadoras foram contratadas para vendas no comércio e as demais para serviços administrativos. “As contratações das mulheres se devem às vagas para as vendas de fim de ano. Muitas lojas abrem a oportunidade para pessoas sem experiência e, por isso, abre mais oportunidades para pessoas mais jovens. Mas, no acumulado do ano, Mato Grosso contratou mais homens do que mulheres. O que houve em outubro é uma questão sazonal”, comentou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, César Miranda.

No acumulado de janeiro a outubro de 2023, foram geradas 57 mil novas vagas de emprego no Estado, sendo que 39 mil resultaram em contratações de homens e 17 mil em mulheres. Em 10 meses, o setor de Serviços (21 mil) e agropecuária (10 mil) foram os que mais empregaram pessoas.

Se comparar o saldo de empregos gerados em outubro deste ano em relação ao mesmo mês de 2022, houve um salto de 136% em novas vagas de trabalho, passando de 800 para 1,8 mil. O setor de comércio foi o maior contratante, seguido por serviços (842) e a indústria (409). Por outro lado, a agropecuária e a construção civil tiveram saldo negativo com fechamento de 305 e 139 vagas, respectivamente.
 
“Nos últimos meses do ano, experimentamos uma considerável queda nas contratações no setor do agronegócio. Essa tendência pode ser atribuída à sazonalidade agrícola, pois esse período coincide com o final do plantio da soja, resultando em menor atividade agrícola e, consequentemente, menos contratações temporárias. Além disso, a interligação com os ciclos econômicos desempenha um papel crucial, já que em momentos de desaceleração econômica, as empresas ajustam suas contratações para se adaptarem a uma demanda mais fraca por produtos agrícolas”, afirmou o coordenador do Centro de Dados Econômicos de Mato Grosso (DataHub MT), Vinicius Hideki.

Ele ponderou ainda que os eventos climáticos extremos, como a seca e as ondas de calor, podem impactar adversamente a produção agrícola, contribuindo para a redução da necessidade de mão de obra no setor durante esse período.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Definida data para início de feira de veículos usados em Sorriso

A diretoria da Associação dos Feirantes Rota do Sol...

Empresas de Sinop iniciam semana contratando 78 novos profissionais

Empresas de Sinop contratam 78 novos funcionários com auxílio do...

Inflação tem queda em Sinop, aponta levantamento do CISE

A taxa de inflação medida pelo Índice de Preços...

Valor da cesta básica em Sinop tem 4º aumento consecutivo e chega a R$ 741

O Centro de Informações Socioeconômicas (CISE) da Unemat, em...
PUBLICIDADE