Economia

Associação recebe com ‘alegria’ liberação para retorno dos bares e restaurantes em Sinop; setor gera 4,4 mil empregos

O presidente da Associação de Bares, Restaurantes e Similares – núcleo da Câmara de Dirigentes Lojistas de Sinop – Marcelo Barão, disse, em entrevista, ao Só Notícias, que a entidade recebeu com alegria a permissão para retorno das atividades do segmento, até às 22h, a partir de hoje. A liberação foi definida, ontem, em novo decreto baixado pelo prefeito Roberto Dorner (Republicanos).

Atualmente, Sinop tem cerca de 820 CNPJs ativos dos setores, que geram 4,4 mil empregos. Já a movimentação mensal de bares, restaurantes e congêneres, é de aproximadamente R$ 7,1 milhões. Desde o início da pandemia, o segmento já amarga prejuízo de cerca de R$ 85 milhões, de acordo com levantamento da CDL divulgado esta semana.

“A associação vem lutando há muito tempo para o retorno. Nós já estamos há mais de 30 dias com o setor parado a noite, em alguns casos mais de 40 dias, depois que veio o decreto da lei seca do governo estadual e realmente parou toda a vida noturna. Agora os comerciantes estão se organizando para retornar suas atividades”, disse o presidente.

Apesar da retomada, segundo Marcelo, é necessário que os empresários continuem seguindo as medidas de prevenção. “A associação vem fazendo trabalho de conscientização para os comerciantes, para o retorno ser com responsabilidade. É importante seguir o decreto. Além de reivindicarmos a volta das atividades, também procuramos soluções, aprovamos numa assembleia um plano de contingência, com profissional de biossegurança, e iremos colocar em prática dentro dos estabelecimentos associados”, pontuou.

Entre as determinações para funcionamento do setor, está o distanciamento de 1,5 metro entre pessoas, respeitar o limite de 50% da capacidade, proibição no atendimento diretamente no balcão e permanência de clientes em pé dentro do estabelecimento. “Nesse período que ficamos parados, uma das reivindicações era que o governador tinha tirado o cliente de um local seguro, com distanciamento, seguindo a prevenção, e tinha levado às festas particulares. Nesse retorno os empresários não podem fazer aglomerações para que essa balança de saúde e economia caminhem juntas”, ressaltou.

Por fim, o presidente lembrou que a permissão de retomada só foi possível devido a diminuição de casos, o que reforça a importância das medidas serem respeitadas. “Lembrando que estávamos num nível muito alto. Como nosso município caiu para o risco alto, existiu essa flexibilização. Se acontecer dos casos voltarem para muito alto, existirá novamente decretos. Isso é muito ruim para o setor, trabalhadores da noite e toda economia da cidade”, completou.

Conforme Só Notícias já informou, o horário do toque de recolher começará a partir das 23h (até ontem era às 21h). O consumo de bebidas alcoólicas nos locais de venda (bares, restaurantes, dentre outros), que estava suspenso há mais de 15 dias, também liberado.

Na última segunda-feira, a Câmara de Dirigentes Lojistas divulgou um levantamento apontado que os efeitos da pandemia da Covid têm sido devastadores para o comércio de serviços no ramo de alimentação. Em Sinop, o setor já teve perda de faturamento de aproximadamente R$ 85 milhões. É um prejuízo médio de R$ 7,1 milhões por mês. O levantamento foi feito através do Centro de Informações Socioeconômicas (CISE) da Unemat, que apurou dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: assessoria)