Economia

73% reprovam carga tributária brasileira, aponta Ibope

BRASÍLIA – A rejeição à carga tributária do governo subiu a 73% da população em junho, segundo pesquisa CNI/Ibope. Em março, 68% já consideravam negativo o volume cobrado em impostos. Em segundo lugar na desaprovação vem a política de juros, que atingiu 67%, o patamar mais elevado do governo Lula.

Em março, 61% dos consultados estavam contra a política monetária e 27% a favor, taxa essa que caiu para 23%. No caso dos impostos, 19% aprovam a política da área econômica, mas em março eram 21%.

Mesmo o combate à fome, 44% consideram que não há resultados, contra 38% da pesquisa anterior. E os que aprovam essa política ficou em 52%, ante 55% em março e 73% em dezembro de 2003.

Também subiu, de 60% para 66% dos entrevistados, a percepção de que as ações do governo em segurança pública se deterioraram. Em março, 33% aprovavam essa política, mas caiu para 28% neste mês.

Quando questionados de forma direta sobre qual área de pior desempenho do governo, a política contra o desemprego teve 30%; segurança, 27%; saúde, 26%; combate à pobreza, 14% e combate à corrupção, 13%.

Aumentou de 51% para 55% os que não acreditam que a inflação está sob controle. E também subiu de 54% para 62% os que desacreditam na política do governo de combate ao desemprego.

A deterioração dos indicadores aumenta a preocupação com a evolução da economia, para os próximos seis meses. Saiu de 24% para 30% a quantidade de entrevistados que acham que a renda geral vai diminuir, enquanto 22% acreditam que vai aumentar, contra 26% na pesquisa anterior.

A pesquisa foi realizada entre 9 a 13 de junho, com 2002 pessoas em 143 municípios. A margem de erro é de 2,2 pontos.