Cultura

UFMT terá programação cultural itinerante com início em Sinop

A equipe da Coordenação de Cultura e Vivência, da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência (Procev) discutiu, no último mês, o plano de trabalho para o ano de 2019. Entre as novidades anunciadas está a característica itinerante da programação, que começará pelo campus de Sinop, com o lançamento da Temporada Cultural e Artística 2019, mas também com atividades nos campi do Araguaia e de Rondonópolis, em julho e outubro, respectivamente.

“Essas atividades serão integradas com as ações culturais de cada município, criando parcerias e promovendo a integração da UFMT, seus Câmpus e as cidades em que estão. O objetivo é utilizar dessas parcerias no lançamento da programação dos 50 anos da nossa Instituição”, afirmou a Coordenadora de Cultura e Vivência, Thania Arruda.

O lançamento da Temporada Cultural no campus de Sinop será entre os dias 24 e 26 de abril e contará com a parceria da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), a Escola de Artes do Município de Sinop, o Núcleo do Cineclube do município, a Galeria de Artes Mari Bueno e a Feira de Arquitetura e Decoração.

Também foi discutida a programação para o tricentenário de Cuiabá, que contará com apresentações da orquestra e do coral da UFMT, entre outras ações que buscam resgatar a relação histórica entre a universidade e o desenvolvimento da cidade. “Já estamos trabalhando em um concerto em homenagem a Cuiabá, com arranjos inéditos, composições de pessoas aqui da terra, pessoas que até já trabalharam no coral, então esse vai ser o foco da primeira metade do ano”, explicou a coordenadora do coral, a maestrina Dorit Kolling.

“Pensamos em uma temporada 2019 histórica, porque ela antecipa os 50 anos da UFMT, ao mesmo tempo em que comemora os 300 anos de Cuiabá. A Orquestra seguirá na linha do ano passado, homenageando aqueles que fizeram a história da cidade e da UFMT e, esse ano, vamos trazer artistas mais da música popular brasileira, tirando um pouco os músicos da Universidade, para ocupar as praças”, afirmou o maestro da Orquestra da UFMT, Fabrício Carvalho.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)