Agronotícias

Telles deve ser próximo presidente da Associação dos Criadores Nelore de Mato Grosso

O pecuarista Aldo Rezende Telles deve ser eleito, dia 30, presidente da Associação dos Criadores Nelore de Mato Grosso (ACNMT). Ele encabeça chapa única e o pleito será às 9h, na sede da instituição, em Cuiabá. Alexandre El Hage é candidato a 1º vice-presidente, Jose João Bernardes a 2º vice-presidente, Cleber Roberto Lemes Filho a 1º secretário, Luiz Antonio Felippe a 2º secretário, Mauricio Campiolo, 1º tesoureiro, Mario Candia, 2º tesoureiro e Beno Molina relações públicas.

“Mesmo com a pandemia, nós conseguimos dar continuidade às principais ações da associação e fizemos parcerias importantes, entre elas, com o Núcleo de Estudo em Pecuária Intensiva (Nepi) da UFMT, fortalecendo o trabalho de pesquisa e melhoria da raça Nelore no nosso Estado”, declarou o atual presidente, Bruno Molina.

O principal avanço foi a reestruturação administrativa da ACNMT. Foram realizadas mais de 50 ações, como palestras semanais, reuniões, o megaevento Nelore na Brasa, as 6ª e 7ª edições da PGP e leilões. A associação também participou de mais de 40 reuniões e eventos, entre eles, a 85ª Expo Zebu de Minas Gerais, 19ª Nelore Fest Acricorte com a realização da premiação do Circuito Nelore de Qualidade, Festival Braseiro e 1º Dinepec.

Em relação à Prova de Ganho de Peso (PGP) a pasto, Molina explica que contou com várias inovações, neste ano, por exemplo, a 7ª edição pela primeira vez teve a participação de fêmeas que vão integrar no ano que vem o programa de abate técnico com avaliação de carcaça dentro do Circuito Nelore de Qualidade e Programa Nelore Natural (parceria com a ACNB).

“Além de buscar incrementar a rentabilidade dos participantes, nossos números da PGP com fêmeas estão nos surpreendendo, com um Ganho Médio Diário (GMD) de 660g. Esses são dados de julho a setembro, período em que Mato Grosso passou pela pior seca nos últimos 50 anos. Portanto, o trabalho da associação é um grande desafio e visa dar suporte aos produtores”, finaliza.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)