Agronotícias

Sindifrigo Mato Grosso aprova sistema de autocontrole que ministério quer implantar

O presidente do Sindicato das Indústrias de Frigoríficos de Mato Grosso (Sindifrigo), Paulo Bellincanta, elogiou o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento pelo “importante passo para modernização da indústria frigorífica”, que é a implantação de um sistema de autocontrole que exige maior responsabilidade da indústria, ou seja, pela medida, caberia a cada empresa a responsabilidade pelo controle da qualidade dos seus alimentos. O ministério não mais disponibilizará médico veterinário em tempo integral nos estabelecimentos. Porém, para implantar definitivamente a medida, o ministério dialogar com as entidades representativas a elaborar o texto e fazer uma discussão com a cadeia produtiva.

“A aposta da ministra (Tereza Cristina) é um desafio na modernização de um sistema de inspeção. É acreditar  no novo, no moderno, porque não dizer no ser humano?  Uma sociedade não evolui se não acreditar que pode ser melhor”, avaliou. Ele defende que é necessário “um Estado mais “leve” e portanto mais ágil, que possa cobrir um imenso vazio hoje existente de abates com precárias condições de sanidade ou mesmo sem nenhuma, nos abates clandestinos extremamente perniciosos à saúde humana”.

O ministério apontou neste sistema de inspeção mais moderno, cada um terá a sua responsabilidade e assumirá as suas decisões e seus atos e o setor de defesa agropecuária vai cobrar a responsabilidade da qualidade e da segurança alimentar exigidas pela sociedade.

Bellincanta analisa que “o ministério da Agricultura tem o mais alto nível de fiscais federais exemplares e eficientes dignos de elogios, muitas vezes já reconhecidos por missões internacionais. Temos ainda uma indústria com excelente estrutura física e com departamentos de controle de qualidade aptos a responderem aos mercados mais exigentes do mundo. É dentro deste cenário positivo, com otimismo, que vemos hoje o Ministério da Agricultura fazendo sua aposta na modernização. A ministra Tereza Cristina responde com uma ação audaciosa e positiva à injusta dúvida a que o setor e o próprio ministério foram submetidos”, concluiu, através da assessoria.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)