Agronotícias

Medida do governo não baixou cotação do milho em Mato Grosso e ‘efeito’ foi contrário

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) constatou que em Mato Grosso, onde produtores já venderam 95,17% da atual safra, não sentiram especulações negativas nos preços durante a semana passada, como era esperado pelo mercado após a ação do governo federal, que zerou as tarifas de importação do milho, há cerca de duas semanas.

“Ao contrário, o preço se elevou 9,26% no comparativo semanal e atingiu o recorde de R$ 62,59/saca”, informou, ontem, o instituto, em seu boletim semanal.  A medida do governo tenta provocar um aumento na oferta em tentativa de conter a escalada nos preços vistas no ano de 2020. Ao analisar o volume de importação divulgado pela Secex para o acumulado de janeiro a setembro, há um recuo de 114 mil toneladas se comparado ao mesmo período do ano passado, valor que pode aumentar nos próximos meses, visto a estreita relação de oferta e demanda brasileira e de preços elevados, como na B3 que registrou uma elevação de mais de 80% na cotação do contrato corrente, se comparado ao mesmo período do ano passado”, concluem os analistas do IMEA.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)