Agronotícias

IMEA prevê que parte da soja de Mato Grosso que iria ao mercado interno vai para o exterior

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária divulgou novos dados de oferta e demanda para as safras da soja em Mato Grosso. Para a oferta da temporada 2019/20, as estimativas não foram modificadas. Já no ciclo 2020/21 houve um aumento na produção devido, principalmente, à previsão de maior área cultivada. Para a demanda, os dados da safra 2019/20 foram reajustados porque parte da soja que estava prevista para consumo interno e interestadual foi realocada para a exportação, que já é recorde no Estado.

Já na safra 20/21, a perspectiva é otimista para parte das indústrias, que apontaram aumento na expectativa de esmagamento, resultando na projeção de 10,48 milhões de toneladas processadas. Para a exportação em 2021, o adiantamento da comercialização –60,40% até final de setembro ante a 36,03% da última safra – pode refletir em escoamentos recordes, podendo chegar a 22,67 milhões de toneladas, o que representa 1,53% acima ao da safra passada.

Na semana anterior, o plantio da safra no Estado alcançar 8,2% da área estimada para a safra. Mas, como os trabalhos continuam atrasados, os sojicultores procuram alternativas para que a “janela” da segunda safra não fique tão prejudicada, explica o IMEA. Alguns, por exemplo, ainda buscam no mercado sementes de ciclo mais precoce para trocar pelos materiais já adquiridos. “Porém, dependendo de como for o clima na fase reprodutiva da cultura, materiais precoces podem apresentar redução de produtividade. De qualquer forma, a possibilidade de a semeadura avançar de maneira mais intensa nos próximos dias é alta, devido aos bons volumes de chuva previstos”, concluoi o instituto.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)