Agronotícias

Conselho começa apresentar dados para plano de recuperação da economia pós incêndios no Pantanal

O Conselho de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Codem) realizou começou apresentar hoje os primeiros dados para um plano de recuperação da economia pantaneira pós incêndios na região em relação à pecuária. O trabalho da comissão e o relatório deverá ser aprovado na próxima semana. Após ser finalizado, o documento será encaminhado para os órgãos competentes do governo Federal, como a Superintendência do Centro Oeste (Sudeco) e também às demais secretarias estaduais para dar

O Conselho também aprovou resolução que estabelece valores para retenção de fêmeas bovinas na linha de financiamento de retenção de matrizes na Planície Pantaneira do FCO. Com isso, as matrizes de 12 a 24 meses, novilha 18 meses (8,5 arrobas) em R$ 1,7 mil/cabeça. De 24 a 72 meses, vaca (10,5 arrobas). Também aprovaram 10 cartas consulta do FCO Empresarial, totalizando quase R$ 250 milhões financiados e também 37 cartas consulta do FCO Rural, totalizando mais de R$ 86 milhões financiados

“Esta comissão mostrou a demanda por recursos para recuperar a economia e apontou soluções que possam mitigar o atual cenário e projetar a possibilidade de aumento de renda deste segmento da economia no bioma Pantanal e isso exige iniciativas públicas e privadas”, afirmou César Miranda, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e presidente do Codem.

De acordo com o coordenador da Comissão, Amado de Oliveira, consultor técnico da Associação dos Criadores de Mato Grosso “é seguro afirmar que, sem a mudança na vigente caracterização exposta do Pantanal, a sustentabilidade do setor pode ficar prejudicada e influenciar negativamente a comunidade que depende da atividade”.

A etapa emergencial do plano, que compreende o período após os incêndios até 31 de dezembro deste ano, solicita auxílio financeiro em relação a investimentos e custeios, logística de acesso por meio da Rodovia Transpantaneira, ações em relação à legislação ambiental e certificação de origem do gado bovino pantaneiro.

Fazem parte da comissão representantes da secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico Meio Ambiente, Agricultura Familiar, Instituto de Defesa Agropecuária, Sicredi, Acrimat, Famato, Fiem, Fecomércio  representante dos produtores rurais do Pantanal.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)