Agronotícias

Com venda de milho travada, Sorriso não se recupera e mantém queda nas exportações

O município de Sorriso ainda não conseguiu se recuperar com as exportações em 2020 e mantém acúmulo de queda nas vendas externas em 27,6% na comparação dos acumulados entre janeiro e maio deste ano com 2019. Ao todo, segundo dados do ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, os produtores de Sorriso deixaram de vender U$ 253 milhões em relação ao período passado. Os números mostram que nos cinco primeiros meses de 2020 as exportações chegaram a U$ 665 milhões contra U$ 918 milhões na comparação passada.

Com a redução, Sorriso, que historicamente lidera as exportações mato-grossenses, foi ultrapassada por Rondonópolis e está em segundo lugar, respondendo por 9,5% das vendas externas efetuadas pelo estado. No Brasil, Sorriso é o 22º município que mais exporta.

A redução das exportações pode ser jogada, em parte, na conta do milho, que caiu em 88% no período. Os estoques estão cheios e os produtores esperam melhora do preço para efetuar as vendas. Por enquanto, foram comercializados U$ 23,4 milhões em milho, o que dá 3,5% das vendas do município.

A venda de soja cresceu. A oleaginosa representa 95% das exportações, seja em grãos, farelo, óleo e outros derivados. O restante das vendas é completado com algodão e carnes em fatias que não atingem 1%.

Outra parte da queda pode ser atribuída à China, que diminuiu as compras em 45,8% e deixou de injetar U$ 221 milhões no mercado sorrisense. Mesmo assim, os asiáticos mantêm-se como principal parceiro com 29% das vendas, seguidos por Turquia, Espanha, Alemanha e México.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: arquivo/assessoria)