Agronotícias

Arroba do boi é valorizada aponta instituto Mato-grossense

Arroba do boi gordo está mais valorizada este ano. Abertura de novos mercados e aumento das exportações de carne fizeram o preço subir 23%, quando se compara ao valor do ano anterior. Na quarta-feira (13), a arroba do boi gordo estava cotada a R$ 164,94, contra R$ 133,44 em novembro de 2018, segundo levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). A Associação dos Criadores (Acrimat) aponta que a aceleração é motivada também pela redução do estoque.

Segundo o Imea, a arroba estava cotada a R$ 157,89 na semana passada, no preço à vista. Esta semana houve alta de 4,4% até quarta-feira, última cotação divulgada. A arroba da vaca gorda também aumentou, 20,6%, em um ano, saindo de R$ 126,92 em novembro de 2018 para R$ 153,15 esta semana. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, a pecuária nacional tem passado por um momento distinto. Em São Paulo, os preços da arroba e os da carne alcançaram patamares recordes. Lá o indicador do boi gordo fechou em R$ 190,95 na quarta-feira (13), próximo ao recorde registrado até então de R$ 191,89, em abril de 2015, ganho de 12% apenas em novembro.

Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário é resultado das aquecidas demandas externa e interna e da baixa oferta de animais prontos para abate. Do lado da demanda, no mercado doméstico, é comum observar certo aquecimento nas vendas nesta época do ano, quando atacadistas se abastecem à espera de aumento na procura por carne, devido às típicas festas e churrascos. Pesquisadores também destacam que o volume embarcado ao exterior pelo Brasil se mantém acima das 100 mil toneladas desde julho de 2018, resultado que tem sido influenciado especialmente pela demanda chinesa.

Segundo o Imea, as exportações de Mato Grosso totalizaram 334,67 mil (t) a um valor de US$ 1,01 bilhão até outubro. Este cenário foi impulsionado pela demanda chinesa, que representou 44,43% do total exportado do mês, com alta de 6,7% no acumulado do ano. “Porém, a oferta da proteína já começou a se restringir no Estado, o que inclusive justifica os maiores preços na arroba. Se não houver um bom planejamento, a escassez de gado pode aumentar mais e não ser suficiente para corresponder à demanda nos próximos meses”, alerta a instituição. A demanda chinesa tem crescido em ritmo acelerado devido ao impacto da peste suína, que assolou a produção daquele país.

Segundo Amado de Oliveira Filho, consultor técnico da Acrimat, a alta nas cotações é reflexo deste panorama de mercado, do aumento das exportações e da seca. “Com a estiagem, a oferta está reduzida e Mato Grosso tem menos animais a pasto, está faltando matéria-prima. Mas, isso não deve durar muito tempo, porque o regime de chuvas já está começando e o mercado deve se normalizar em breve”.

Jorge Pires, pecuarista com criação próximo a Cuiabá e no noroeste do Estado, diz que os preços estão se recuperando após “congelamento” nos 3 anos anteriores. “A abertura de novos mercados tem levado a essa valorização. Hoje estamos com um maior equilíbrio nos custos”. A arroba chega a uma média de R$ 170 em Mato Grosso. “Aliado a tudo isso, temos conseguido um abate maior devido à integração da lavoura e da pecuária e do semiconfinamento, tendo melhor aproveitamento e redução de custo”.

A gazeta (foto: divulgação)