SocialNews

Lúcio Mauro Filho conta que conhecia Evaldo Rosa, morto em carro atingido por 80 tiros

Lúcio Mauro Filho lamentou, na noite da última sexta-feira (12), a morte do músico e segurança Evaldo dos Santos Rosa, que teve seu carro atingido por 80 tiros de militares do Exército, no Rio de Janeiro.

Evaldo estava no carro com a mulher, uma amiga, o sogro e o filho de 7 anos, quando seu carro foi alvejado por tiros de militares no último domingo (7), em Guadalupe, na zona oeste do Rio de Janeiro. O sogro de Evaldo e um catador de papel também foram atingidos e seguem internados.

Confira post abaixo, na íntegra:

Os 80 tiros em Evaldo resvalaram em mim. Desde então, não consigo nem ler os jornais, pois entro numa espiral de tristeza e revolta, que não faz bem a ninguém. Meu coração tá doendo. Evaldo trabalhou comigo diversas vezes. Além de músico e segurança, ele também era camareiro dos bons. Sempre educado, sempre discreto. Quem o conheceu, não consegue acreditar que uma pessoa tão da paz, morreu de um jeito tão violento e desumano. Na terça-feira, o porta-voz da Presidência deu uma única declaração em nome do governo: ‘O presidente confia na Justiça militar, no Ministério Público militar e, a partir desse pressuposto, ele identifica e solicita até dentro da possibilidade, já que há independência de poderes, que esse caso seja o mais rapidamente elucidado’. É inaceitável que um cidadão seja assassinado por soldados do exército a luz do dia, na frente da esposa, do filho, e o governo não preste condolências à família, ou faça um pedido de desculpas. Isso não existe em lugar nenhum do mundo civilizado. É falta de educação, é falta de compaixão. Um presidente cristão deveria correr para a internet e pedir orações e vibrações positivas pra essa família que viveu essa barbaridade. Devia pedir desculpas à família e à sociedade. Enquanto não entendermos que a cultura da violência é um mal negócio para o nosso país, andaremos para atrás. Precisamos de governantes que trabalhem pela paz. Precisamos nós da sociedade, nos posicionarmos à favor da paz. O brasileiro é um povo trabalhador e amoroso. Como meu querido Evaldo. Minhas condolências à família desse grande parceiro! Um homem de bem e dedicado com quem tive o prazer de trabalhar. Lutemos pela paz. Violência jamais!

Revista Quem/Globo