Saúde

UCT de Sinop recebe cerca de 250 doações por mês

A crença de que o sangue que dá e sustenta a vida é capaz de salva-la vem de tempos remotos. No entanto foram necessários vários séculos de estudos e pesquisas para que a ciência descobrisse sua real importância e dar a ele uso adequado.

As transfusões de sangue tiveram início no Século 17, realizado experimentalmente em animais; contudo somente no século 19 que embora proibidas mas não abandonadas, as transfusões com sangue humano começaram a obter resultados positivos.

Na época não se pensava em armazenamento de sangue, o problema maior era a incompatibilidade sanguínea já que se observava que o soro do sangue de uma pessoa muitas vezes coagulava ao ser misturado com o de outra.

Vencida a barreira da incompatibilidade, a batalha enfrentada em seguida foi desenvolver processos e métodos que aumentassem a vida útil do sangue, permitindo o seu armazenamento e a formação de estoques.

A evolução científica permitiu a descoberta de soluções anticoagulantes e conservantes, aliada ao desenvolvimento e aperfeiçoamento dos equipamentos de refrigeração, isso permitiu a organização dos centros de armazenamento de sangue.

Porém o grande problema enfrentado hoje pelas UCT’S Unidades de Coleta e Transfusão de Sangue é encontrar doadores, essa questão já estendeu-se por muitos anos, por isso foi instituído o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, data esta comemorada no dia 25 de Novembro. A UCT Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue de Sinop nasceu no ano de 2001, durante a gestão do Prefeito Nilson Leitão que percebeu a real necessidade de uma unidade de coleta e transfusão aqui no município.

Atualmente a Unidade de Sinop fornece emocomponentes (concentrado de hemáceas e plasma congelado) para todos os hospitais de Sinop e agência de transfusão de Marcelândia, além de plasma congelado para Sorriso, Alta Floresta e Colíder.

Sandra Schiabel, bioquímica responsável pela UCT-Sinop afirma que o número de doadores tem aumentado nos últimos anos.“A população de Sinop tem se conscientizado de que o sangue doado não faz a menor falta para o doador” disse ela.

Atualmente a UCT-Sinop recebe cerca de 250 doadores mensalmente, a unidade também possui um cadastro dos doadores, e em um levantamento feito pela equipe constatou que 40% desses doadores voltaram a fazer a doação, eles são chamados de doadores de repetição.”Doar sangue é seguro, simples e rápido, as pessoas estão percebendo que nada justifica deixar de doar, isso garante a quantidade e a qualidade do sangue” frisou a Bioquímica.

A UCT terá uma programação especial para este dia 25, já que o número de doações tende a diminuir nesta época do ano, em funções das datas comemorativas, viagens e férias.

“Vale ressaltar que é exatamente nesta mesma época em que os acidentes mais acontecem. Portanto a Campanha quer não só trazer os doadores neste dia, mais mostrar que doar sangue é importante durante todos os meses do ano.
Normalmente doamos sangue porque alguém necessita de uma transfusão. Pela facilidade e segurança com a qual pode ser retirado, associado ao enorme beneficio para quem dele necessita, doar sangue pode ser considerado um gesto simples de pessoas dispostas a ajudar o próximo, contribuir para a cura de enfermos”, disse a bioquímica.

Quando doado para alguém desconhecido esse gesto pode tornar-se algo mais, um gesto bonito e acima de tudo, humano.