Saúde

Sorriso, Sinop, Nova Mutum, Alta Floresta entre os que mais tem casos de dengue e secretaria faz alerta

A secretaria estadual de Saúde alertou, esta tarde, as prefeituras para que intensifiquem o combate à dengue, zika e chikungunya, devido ao período chuvoso que se inicia e ao alto risco para as doenças registrado em 72 municípios mato-grossenses ( 50% do total).

De janeiro até o último dia 13, Mato Grosso registrou 26.416 casos de dengue e atingiu 758,1 de incidência para cada 100 mil habitantes. Do total de casos registrados no Estado, 29 correspondem à dengue grave, 8 mortes confirmados e três em investigação. A secretaria informa que na lista dos 10 municípios com maior registro estão Sorriso (3.990), Sinop (2.803) Nova Mutum (2.126), Alta Floresta (1.389), Nova Ubiratã (1.338), Colíder (1.175), Marcelândia (755), Primavera do Leste (623), Campo Verde (597) e Chapada dos Guimarães (551).

Apenas dois estão com alto risco para Zika, ambos no Nortão, União do Sul com 3.562 casos e Marcelândia com 10.499 casos. Nenhum município apresentou alto risco para chikungunya.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Alessandra Moraes, explicou que de dezembro a 20 de março é o período em que o número de arboviroses aumentam em decorrência da chuva e do acúmulo de criadouros do Aedes Aegypti nas residências e terrenos baldios. Ela acredita que o trabalho conjunto entre Estado, municípios e população contribuirá para o enfrentamento da doença.

“A dengue não é mais uma doença sazonal para Mato Grosso e sim epidêmica. Com isso, há alto risco para esses agravos, o que coloca os gestores municipais em estado de alerta, sendo importante intensificar as ações preventivas de combate ao mosquito transmissor. A população pode contribuir nesse combate, limpando reservatórios de água e eliminando possíveis criadouros”, explicou.

Para evitar mais casos de dengue no Estado, a SES realiza oficinas de atualização em manejo clínico aos municípios que compreendem as 16 regionais de saúde de Mato Grosso. Paralelas às oficinas de atualização, a Secretaria também auxiliou os municípios na construção do Plano Regional e Municipal de Contingência as arboviroses dengue, zika e chikungunya e tem mantido a distribuição de insumos estratégicos, como inseticidas e larvicidas utilizados como medida complementar ao controle do vetor.

O órgão estadual ainda tem realizado controle de qualidade na identificação das larvas do Aedes, encontradas e coletadas nos municípios, além de cooperação técnica, informa a secretaria de Comunicação.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)