Saúde

Sinop, Santa Carmem e Feliz Natal terão unidades de reabilitação

Sinop, Feliz Natal, Santa Carmem e Tabaporã terão Unidades Descentralizadas de Reabilitação (UDRs) até dezembro deste ano. Este é um dos projetos que compõem a “Agenda de Impacto-Agosto/Setembro” que vem sendo implementada pelo Centro dentro das metas estabelecidas pelo secretário, Augustinho Moro (foto).
A meta é fortalecer a atenção aos portadores de necessidades especiais em todo o Estado e serão implantação 14 unidades.

O objetivo é garantir a qualidade, humanização e resolutividade dos serviços ofertados. “A implantação das unidades descentralizadas faz parte da política pública de interiorização da rede no Estado”, disse o diretor-geral do Cridac, Pedro D’Ornellas. O Cridac é referência no tratamento de média e alta complexidade para portadores de necessidades especiais nas áreas auditiva, física e mental. “O Centro de Reabilitação é considerado pelo Ministério da Saúde (MS) como uma das instituições públicas de reabilitação do país que mais avançou na organização da rede estadual”, comentou.

De acordo com D’Ornellas, entre os projetos que integram a “Agenda de Impacto” estão o “Cridac Estudante”, que visa a interação com escolas do Ensino Médio, a reforma e adequação dos Centros de Reabilitação, incluindo portas, banheiros conforme as normas da ABNT,que dão viabilidade de acesso aos usuários com necessidades especiais, a referência de tratamento de deformidades congênitas, a referência estadual no tratamento da Esclerose Múltipla, o projeto Sentinela, desenvolvido em parceria com o Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e o INSS, o “Cridac vai até você”, a “Saúde auditiva”, o “VI Encontro dos Profissionais do Cridac e UDRs”, a “Reabilitação Baseada na Comunidade” (RBC), o projeto “Palestras sobre Educação e Saúde”, que são promovidas às terças, quintas e sextas-feiras nos setores do 1º Atendimento e no setor Médico do Centro de Reabilitação, e “Capacitação dos Servidores” em vários áreas como avaliação em eletrotermoterapia e integração sensorial.

Outros projetos previstos na “Agenda de Impacto-Agosto/Dezembro” que já vêm sendo realizados são as melhorias no espaço físico do Cridac. No mês de março passado, por exemplo, foram inauguradas as novas instalações de Primeiro Atendimento, o setor médico, a clinica de cinesioterapia e a revitalização da praça do Centro de Reabilitação.

Além disso, pacientes com Esclerose Múltipla, uma doença do sistema nervoso central que afeta o cérebro e a medula espinhal, interferindo no controle das funções como enxergar, caminhar e falar, também já contam com atendimento de um neurologista para o tratamento da doença.

Com cerca de 222 profissionais, o Cridac oferece serviços de fisioterapia (termoterapia, eletroterapia, hidroterapia, correção postural,Reabilitação Postural Global (RPG), mecanoterapia, entre outros), equoterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, socioterapia (serviço social), enfermagem, acupuntura, pedagogia, nutrição, psicologia, além de especialidades médicas nas áreas de ortopedia, fisiatria, otorrinolaringologia, neurologia, neuropediatria, cardiologia, pediatria, reumatologia, clínica médica, urologia e gastroenterologia. “Nossa missão é desenvolver ações de prevenção, tratamento e reabilitação aos usuários de forma integral”, comentou D’Ornellas.

Atualmente, o Centro de Reabilitação atende em média 4.500 pacientes por mês, o que gera cerca de 14 mil procedimentos. No Cridac também funcionam oficinas de fabricação de próteses e de fabricação de botas ortopédicas. Até julho passado, já foram entregues 1.277 produtos entre prótese, órtese e outros meios auxiliares de locomoção como bengala e muletas.

O Cridac também fornece aparelhos auditivos, sendo que neste ano já foram concedidas 1.140 próteses. “No ano passado, a meta era entregar 1.600 aparelhos. Superamos esse número com 1.607 concessões, obtendo assim 100,44% de resolutividade”, comentou D’Ornellas.