Saúde

Sinop: prefeitura aponta queda de 71% nos casos de dengue

O número de casos confirmados de dengue caiu 71,83% ano passado em relação a 2017. De janeiro e dezembro foram 376 e, no período anterior, 1.335. Os diversos mutirões de limpeza resultaram na queda do índice de infestação de 3,5 % (em fevereiro) para 0,3% (em setembro). Só na região central da cidade, com apoio da CDL Sinop, ACES, Corpo de Bombeiros e Tiro de Guerra, uma grande ação voltada à eliminação de focos e potenciais criadouros do mosquito resultou na vistoria de aproximadamente 1.500 imóveis (entre empresas e casas) em 54 quarteirões entre as avenidas Itaúbas, Embaúbas, Figueiras e Jacarandás.

O coordenador do Centro de Endemias, Cesário Rocha, essa baixa mostra a seriedade do trabalho realizado diariamente pela secretaria de Saúde, por meio do Centro de Endemias, e os múltiplos parceiros. Ele lembra que para obter esse resultado foram diversas medidas tomadas em conjunto com as Secretarias de Obras, Meio Ambiente, Educação, a população, entidades de classe e demais. “No entanto, não podemos nos descuidar, principalmente nesta época quente e chuvosa, que fornece condições ideais para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya”, alerta o coordenador.

A prefeitura tem desenvolvido continuamente, no decorrer do ano, ações de contenção contra as arboviroses. Além das visitas de rotinas a domicílios e limpeza dos terrenos, a equipe de endemias acompanha a cada 15 dias todos os 150 pontos estratégicos do município (borracharias, ferros-velhos, oficinas, entre outros) que concentram grandes números de potenciais criadouros. Esses locais são tratados com inseticidas e larvicidas, com o objetivo de eliminar possíveis fêmeas do mosquito.

Cesário também aponta os bloqueios de casos como fundamentais para evitar a proliferação da doença nas imediações. A ação conta com todas as unidades de Saúde, que notificam o Centro de Endemias toda vez que um cidadão suspeita ou contrai qualquer uma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. A partir daí, uma equipe é direcionada para o endereço que reside o paciente e nesta localidade é feita uma pulverização que alcança aproximadamente 900 metros ao redor do imóvel.

Já as equipes das secretarias de Educação e Saúde fizeram intenso trabalho de conscientização da população com especialistas nas creches, escolas, faculdades e empresas públicas e privadas para difundir informações sobre a prevenção.

A assessoria também informa que, quando necessário denunciar um local que represente potencial criadouro para o mosquito o cidadão deverá utilizar um dos canais para registrar sua denúncia – telefone 3511-1829, e no site seligasinop.com.br

 

Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)