Saúde

Sinop não registra caso de hantavirose desde 1999, aponta Secretaria de Saúde

Sinop é uma das cidades que não apresentou nenhum caso de hantavirose de 1999 ao final de agosto deste ano, conforme mostra um relatório divulgado pela Secretaria do Estado de Saúde. Nele, constam os municípios que apresentaram maiores números de casos e óbitos, registrados pela doença, que é transmitida por um vírus encontrado em ratos silvestres que vivem em áreas rurais.

Em agosto, conforme o relatório, o município que teve maior confirmação foi Campo Novo do Parecis, com dez casos e cinco óbitos. Em seguida aparece Tangará da Serra, com cinco casos e quatro mortes e Diamantino, com três confirmações. Denise e São José do Rio Claro vêm em seguida, com apenas uma confirmação. Ainda segundo o levantamento da secretaria, de 1999 até agosto, foram 73 casos em todo o estado. Destes, 33 foram a óbito e outros 40 conseguiram se curar.

Entre os sintomas da doença está a febre alta, fadiga, dores nas costas e no abdômen, congestão entre outros. Ela é transmitida pelo contato do homem com quaisquer objetos que tenham sido contaminados com a urina, saliva ou fezes do roedor.