Saúde

Sindicato de hospitais decide suspender atendimento de plano saúde em Mato Grosso

O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat) decidiu em assembléia geral realizada hoje, em Cuiabá, suspender o atendimento aos planos de saúde do Sesi Vida a partir das 12h01 de segunda-feira (19), caso a operadora não pague todos os débitos atrasados com hospitais, laboratórios e clínicas de radiologia.

O Sesi Vida atende a cerca de 80 mil usuários em todo o Estado e o Sindessmat negocia a quitação dos débitos atrasados com a operadora há três meses, porém, não consegue que as decisões tomadas sejam cumpridas.

O presidente do Sindessmat, José Ricardo de Mello, afirma que existem estabelecimentos que não recebem pela prestação dos serviços há seis meses. “Eles não têm um critério definido para efetuar os pagamentos. Alguns estabelecimentos têm restos a receber ainda do mês de maio. Como não respeitam os acordos feitos nas negociações, decidimos parar”, disse Mello.

A reunião com representantes de 10 hospitais e cinco laboratórios de Cuiabá e do interior decidiu também que caso a União Nacional das Instituições de Auto Gestão em Saúde (Unidas) não assine contratos com os prestadores de serviços até o dia 30 de setembro, o atendimento ao grupo também será suspenso.

Os prestadores de serviço argumentam que mesmo com as dificuldades no setor, têm que pagar alimentação, água, condomínio, apartamento, entre outros, para os clientes do Sesi Vida, sem garantia de quando vão receber. “Trabalhar dessa forma inviabiliza o negócio e prejudica o segmento. Queremos critérios e datas definidas para o pagamento, além de receber todos os atrasados, caso contrário, paramos”, explica Mello.

As negociações com a Unidas já foram definidas e agora o Sindessmat aguarda a assinatura dos contratos de prestação de serviço, caso não seja feita, no próximo dia 30, o atendimento aos 150 mil usuários da instituição, também será suspenso.