Saúde

Sem doses, Cuiabá fecha quatro postos de vacinação e suspende aplicação de doses

A prefeitura de Cuiabá anunciou hoje que suspendeu as atividades de quatro postos de vacinação contra a covid-19 por falta de doses. Segundo o comunicado, a capital de Mato Grosso recebeu, nos últimos dias, apenas o suficiente para imunizar lactantes e aplicar a segunda dose dos atrasados. 

Outros grupos não serão mais vacinados a partir desta quarta-feira, até a normalização da situação. “As pessoas que estavam agendadas para o recebimento da primeira dose devem aguardar a retomada das atividades e verificar o agendamento no site (da prefeitura)”, detalha trecho do comunicado. 

A prefeitura alega que, no último sábado (19), Cuiabá recebeu uma remessa com vacinas da Pfizer e da Coronavac, mas em número insuficiente para manutenção dos cinco polos. “Na última remessa, a capital de Mato Grosso recebeu pouco mais de 4.500 doses de Pfizer para primeira aplicação e mais de 6.800 de Coronavac. Desse quantitativo, parte é destinada à segunda dose das pessoas que estão com o esquema vacinal atrasado. Já o restante está reservado para dose 1 e dose 2 de lactantes”.

Ontem, conforme Só Notícias já informou, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho Júnior (foto), fez duras críticas ao prefeito Emanuel Pinheiro e ao deputado federal Emanuel Pinheiro Neto por causa da divulgação enganosa de que Cuiabá receberia doses extras de vacina. De acordo com ele, a capital e a população “já cansaram de fake news”. 

“Fiquei extremamente feliz quando os dois afirmaram que Cuiabá iria receber as doses extras de vacina contra o coronavírus. Nós, do Governo, achamos estranho, mas comemorei. Afinal toda ajuda é bem vinda. Contudo, sabíamos que o Ministério tinha que seguir o Plano Nacional de Imunização, pois caso contrário isso iria ferir os critérios do plano, mas não acreditava que seria possível uma divulgação enganosa como foi”, explicou. 

Carvalho ainda destacou que é um absurdo fazer um anúncio sem nenhum lastro de verdade com um assunto tão sério como é a vacina. “Tentar usar uma situação tão séria como essa, ir a Brasília, gravar vídeo, em que o próprio ministro não fala nada, e espalhar aqui na Capital que conseguiu mais de 260 mil doses é brincar com a esperança da população”, afirmou. 

O desmentido sobre a vinda de vacinas foi feito pelo próprio ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na Comissão Temporária da Covid-19, no Senado, durante uma audiência. “Não há uma estratégia específica em relação a competição esportiva [Copa América]. Na realidade o que está em discussão, esses estados que têm grandes fronteiras secas com países vizinhos, está em estudo no PNI [Plano Nacional de Imunização] para se ampliar a vacinação nesses estados que territorialmente são grandes, mas que tem concentração demográficas pequenas, de tal maneira que o esforço pra ampliar a imunização não é tão grande, e do ponto de vista epidemiológico pode ser importante para conter prováveis variantes”, disse o ministro ao ser questionado pelo senador Wellington Fagundes.

Para Carvalho, Emanuel ainda criou um constrangimento injusto ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro Marcelo Queiroga, pois nenhum deles deu garantia de doses extras, mas sim respeitosamente afirmaram que iriam avaliar o pedido do prefeito e foram honestos ao divulgar que não teria plano “adicional” de vacinação para as sedes da Copa América.

“É mais um lamentável episódio em que a população foi enganada. Não havia necessidade de fazer um alarde desse tamanho para tentar se promover. Faça o dever de casa, teste a população, abra leitos, ofereça assistência médica, que já vai estar ajudando e muito o povo da nossa querida Capital”, finalizou Carvalho.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)