Saúde

Secretaria pede empenho da comunidade para combater mosquito da dengue em Sinop

Saúde pede empenho da comunidade para combater mosquito da Dengue

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Sinop fez um alerta para que a população esteja consciente sobre a infestação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue.

Segundo dados fornecidos pelo coordenador de Endemias da SMS, Valério Gobbato, o índice de infestação triplicou, nos últimos meses, chegando à marca de 1,44%, quando a Organização Mundial da Saúde considera limite máximo aceitável de 1%.

O número de pessoas contaminadas em 2005 também já é quatro vezes maior que em 2004. “No ano passado tivemos 60 casos confirmados e até agora a Secretaria já registrou 250 pessoas confirmadas”, disse Gobbato, alertando que apesar de em Sinop não haver casos de dengue hemorrágica, o Escritório Regional de Saúde informou que municípios vizinhos já registraram o tipo mais violento da doença.

Na avaliação de Valério, o que falta é consciência da população. “Todos têm conhecimento da Dengue, mas as pessoas acabam por deixar de prestar atenção em pequenos detalhes como olhar o próprio quintal, a sua casa, para evitar a proliferação do mosquito”, disse.

Segundo ele, entre agentes da Vigilância Sanitária, funcionários dos programas de Saúde da Família (PSFs) e da Secretaria de Infra-estrutura (Sinfra) mais de 200 pessoas estão envolvidas no combate à Dengue em Sinop. “Todos os 60 agentes não entrarão em recesso e vão trabalhar diariamente visitando residências, orientando e passando veneno”.

Valério alerta ainda para dois problemas que poderão agravar a situação e fazer do primeiro trimestre de 2006 um caos quanto à Dengue. “Estamos encontrando dezenas de imóveis fechados o que nos impossibilita de verificar se há ou não foco da Dengue. Além disso, aqueles que viajarem para as regiões sudeste e nordeste correm o risco de contrair a doença e depois de voltar ao Município, agravar a situação local”.

Questionado sobre o funcionamento do fumacê, Gobbato foi claro em dizer que esta alternativa é utilizada apenas em último caso. “O Ministério da Saúde libera o fumacê somente quando há caracterização de epidemia e quando todas as outras ações já foram utilizadas, como mutirões de limpeza, por exemplo”, afirmou acrescentando que o método diminui a transmissão e não a contaminação.

Por isto, o coordenador solicita que a população não espere o fumacê e sim, tome providências quanto à sua propriedade. “Se todos nós cuidarmos do nosso local de moradia, trabalho, limpando, organizando, conseguiremos combater o mosquito da Dengue em Sinop”, finalizou.