Saúde

Secretaria de Saúde aponta redução de 33% nos casos de HIV em cidade do Nortão

De janeiro até agora foram diagnosticados 12 novos casos de pessoas com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), em Peixoto de Azevedo (197 quilômetros de Sinop). De acordo com a secretaria municipal de Saúde, são 7 homens e 5 mulheres. Uma das infectadas recentemente descobriu a doença durante a gravidez nos exames de rotina. No mesmo período do ano passado, foram 18 casos – dois deles também durante a gestação.

A enfermeira responsável técnica pelo setor de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), Maria Célia Braga, disse, ao Só Notícias, que no município não há testes rápidos e, por isso, o número de pessoas com a doença pode ser maior. “Esse número é muito preocupante. Esse teste rápido é feito apenas no IST. Acreditamos que se ocorressem esses exames nos PSFs o diagnóstico  seria maior. Infelizmente, uma parcela considerável das pessoas ainda realiza o diagnóstico do HIV em estágios avançados da doença, em que o risco de adoecimento grave e morte é consideravelmente maior. As pessoas contaminadas sem conhecimento da sua condição sorológica e, portanto, sem tratamento, além de não usufruírem dos inúmeros benefícios do tratamento, perpetuam a cadeia de transmissão do vírus, contribuindo para a manutenção da epidemia”.

Ainda segundo a enfermeira, dez homens e quatros mulheres foram diagnosticadas com Hepatite B. Duas delas descobriram durante a gravidez. Em comparação ao ano de 2016, forma 11 casos diagnósticos. De janeiro a outubro deste ano, foi apontado apenas um caso de Hepatite C. Sífilis congênita são 7 casos, adquiridas em adulto 4, em gestante 14, não especificada 5 diagnósticos, até agora.

“Peixoto deixou de ser atendido pelo Serviço de Assistência Especializada em HIV/Aids (SAE) de Sinop, no mês passado. Devido a isso, município está passando por uma estruturação, equipe e reforma de prédio para que o SAE local comece a funcionar de forma totalmente independente. Porém, desde o desligamento já estamos atendendo os pacientes da Regional de Saúde de Guarantã, Matupá, Novo mundo, Peixoto e Terra Nova do Norte. A estrutura ainda é provisória e dependemos da dispensação de medicamentos do SAE em Sinop”, explicou Maria Célia