Saúde

Secretaria constata ‘velocidade maior’ de novos casos de Covid em Mato Grosso; 91 mil idosos não tomaram dose de reforço

A secretaria estadual de Saúde reforçou, hoje, a orientação para que pessoas com 60 anos ou mais, que já receberam a dose de reforço há mais de 4 meses, procurem de forma imediata os Postos de Saúde para receberem a 4ª dose da vacina contra a Covid neste Dia Nacional da Imunização.

A recomendação é devido ao aumento na positividade dos casos e potencial risco de elevação das internações por Covid em Mato Grosso. De acordo com o painel de distribuição de vacinas contra a Covid, até o momento apenas 16% da população elegível de idosos estão com o esquema vacinal completo, sendo que 216,5 mil pessoas já podem receber a 4ª dose.

A orientação é feita também ao grupo de idosos, que receberam apenas a 1ª e 2ª doses. Mais de 91 mil idosos precisam receber a dose de reforço para depois completarem o esquema vacinal com a 4ª dose.

“É importante que a população idosa entenda a necessidade de receber a 4ª dose, passados 4 meses da aplicação da dose de reforço. Já é perceptível um aumento de casos positivos em algumas regiões e em alguns públicos. Houve um crescimento de cerca de 20% na positividade das testagens por PCR em relação ao mês anterior”, declarou a secretária de Estado de Saúde, Kelluby de Oliveira.

O secretário Adjunto de Vigilância em Saúde, Juliano Melo, acrescenta que “todos os idosos com mais de 60 anos, que tomaram a sua última dose há mais de 4 meses, têm uma chance maior de desenvolver a doença, mesmo que de forma mais leve. Dependendo das condições físicas e epidemiológicas, pode evoluir para uma forma mais grave”, explica

Quando analisados os dados dos últimos 14 dias, Mato Grosso registrou 2.461 casos acumulados, que indica incidência – ou seja, a velocidade com que a infecção está propagando – de 69 casos por 100 mil habitantes.

Em relação à população vacinável de Mato Grosso, 3.3 milhões de pessoas, o equivalente a 72% recebeu as 1ª e 2ª doses. No estado, 1.329.141 pessoas ainda precisam receber a dose de reforço.

A taxa de ocupação está em 18% para UTIs adulto e em 8% para enfermaria adulto.

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)