Saúde

Secretaria confirma que ainda não fez contratação para novas UTIs Covid no Regional em Sinop

A assessoria da secretaria estadual de Saúde confirmou, ao Só Notícias, que ainda não fez contratação de empresa ou de equipe assistencial médica para reabertura de 10 Unidades de Terapia Intensiva no Hospital Regional de Sinop. Os leitos estão desativados desde setembro quando o governo do Estado rescindiu contrato com a empresa responsável pela gestão.

O processo para contratação ainda está em tramitação. Não foram, no entanto, estipulados prazos para conclusão do processo, e de acordo com a secretaria, assim que finalizado o procedimento “a pasta divulgará o início do funcionamento desses leitos”.

Atualmente, o Regional de Sinop, que é referência para a região Norte e também algumas cidades do Pará, tem 19 leitos pactuados. Destes, 15 estão ocupados, com taxa de 78,95%. Entre os pacientes internados, nove são sinopenses e os demais de outros locais.

À época da rescisão com a empresa que era responsável, o governo apontou que recebeu denúncias que, em junho, na escala para UTI havia 6 médicos, sendo 2 especialistas em medicina intensiva. Entretanto, dos 90 turnos do mês (manhã, tarde e noite),em apenas 23 turnos o médico era especialista em medicina intensiva,​portanto 26% da assistência médica oferecida na UTI era especializada.

Em julho, o Observatório Social de Mato Grosso apontou que apenas 15% da assistência médica oferecida na UTI era especializada. Dos 19 leitos que funcionam hoje, 9 são administrados pela própria unidade de saúde e 10 ainda estão sob a administração da empresa, por meio de outro contrato.

No último mês, representantes da administração municipal, Associação Comercial e Empresarial de Sinop, Câmara de Dirigentes Lojistas, União das Entidades de Sinop, secretaria municipal de Saúde protocolaram ofício na direção do Hospital Regional solicitando que fossem reativadas as 10 UTIs. O documento foi encaminhado ao governador Mauro Mendes (DEM) e o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)