Saúde

Saúde participa de projeto de segurança alimentar na BR-163

A Secretaria de Estado de Saúde (Ses) está participando, em parceria com a Universidade Federal do Estado de Mato Grosso (UFMT), na execução do projeto de pesquisa “Segurança Alimentar e Nutricional da População Residente na Área de Influência da BR-163”, patrocinado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “O projeto tem como objetivo analisar as condições de alimentação e nutrição da população residente nos municípios da área de influência da BR-163, Diamantino, Alta Floresta, Sorriso e Sinop, nas regiões Médio Norte e Norte de Mato Grosso.

O Estado participa do projeto com cooperação técnica, fornecimento de transporte para as regiões a serem pesquisadas e capacitação para coleta de dados”, explicou a gerente de Promoção e Prevenção das Ações de Assistência à Saúde, da Ses, Maria da Penha Ferrer de Francesco Campos. “O projeto ‘Segurança Alimentar da População da BR 163’ deve ter sua execução completada até julho de 2007 e as conclusões a que chegar vão subsidiar a política de segurança alimentar e nutricional do Estado, para a região da BR 163, beneficiando a uma população de 216 mil habitantes nos 4 municípios”, completou.

O interesse da Secretaria de Estado de Saúde, na participação da execução do projeto, está relacionado com a preocupação da Ses em aplicar as diretrizes da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que é responsável pelo desenvolvimento e implantação de políticas de Segurança Alimentar Nacional. “Essa demonstração já foi bem marcada com a realização da Semana Estadual da Alimentação Saudável, realizada em Outubro de 2006, e várias discussões sobre o tema durante todo o ano que passou”, lembrou Maria da Penha.

O projeto Segurança Alimentar da População da BR 163 desenvolve ações para caracterizar as famílias, de acordo com variáveis socioeconômicas, demográficas, ambientais e de estilo de vida, estimar a prevalência da desnutrição e da obesidade na população dos municípios envolvidos, verificarem o acesso e a disponibilidade dos alimentos utilizados pela população avaliando seu consumo alimentar, caracterizar uma lista de preparação de alimentação típica e mais freqüente da região, identificar situações que caracterizem vulnerabilidade à fome e verificar a presença de sujidades nas preparações culinárias utilizadas pela população. Serão investigadas as condições de conservação (armazenamento), o manuseio durante a preparação, as condições de higiene e o valor nutricional dos alimentos. A pesquisa incluirá um levantamento antropométrico para verificação de peso e altura dos moradores do entorno da BR 163.

Ao final do projeto serão produzidos relatórios com os resultados obtidos pela pesquisa, com indicadores que ajudarão na realização de ações de segurança alimentar e nutricional, desencadeadas pelo Sistema Único de Saúde, que beneficiem as famílias da área de abrangências da BR 163, comprovadamente de vulnerabilidade social, de modo a garantir àquela população a possibilidade de uma alimentação saudável, de qualidade e quantidade suficientes.