Saúde

Mato Grosso registra duas mortes por influenza

Duas mortes causadas por influenza foram confirmadas em Mato Grosso. Conforme boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, até o momento foram diagnosticados 5 casos de H1N1, sendo que um evoluiu para morte no município de Água Boa (730 km de Cuiabá), e um de influenza B, que o paciente também veio a óbito na capital. Outras 6 mortes foram causadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), enquanto 7 óbitos ainda estão sob investigação.

Ao todo, foram hospitalizadas 121 pessoas com SRAG, 29 casos foram descartados e 87 estão sob investigação. Dos 5 casos confirmados de H1N1, dois foram registrados em Água Boa, um em Canarana, e Cuiabá. Nenhum caso de H3N2 foi confirmado até o momento.

Paralelo ao cenário de notificações e mortes, é realizada a campanha nacional de vacinação contra a influenza, que encerra na próxima sexta-feira. De acordo com o vacinômetro do Ministério da Saúde, até ontem, o Estado havia imunizado 74,4% do público-alvo.

A SES emitiu alerta à população, já que a meta estabelecida pelo MS é de 90%. Dois grupos prioritários que conseguiram atingir a meta em Mato Grosso foram os funcionários do sistema prisional (140,33%) e as puérperas (90,93%). Piores índices continuam com os servidores da segurança pública (38,84%) e os indígenas (58,70%).

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, até o dia 20 de maio os municípios com a pior cobertura eram Alto Boa Vista com 12,29%, Colniza com 22,53% e Nova Canaã do Norte com 29,62%. Já os três municípios com melhores coberturas são Tapurah com 105,02%, Ponte Branca com 103,03% e São Pedro da Cipa com 100,98%.

O índice de cobertura vacinal em todo o Estado, que abrange 141 municípios, representa a aplicação de 639.947 doses da vacina contra a gripe influenza, de um total de 859.343 pessoas que compõem os grupos alvos da campanha.

A Gazeta (foto: assessoria)