Saúde

Marcos Machado assina convênios com Nova Mutum e Colíder

No cumprimento da meta de incentivar e estabelecer parcerias com os municípios de Mato Grosso, o secretário interino de Saúde, Marcos Henrique Machado, assinou na quarta-feira convênios com 15 Prefeituras Municipais visando o repasse financeiro para construção de unidades do Programa de Saúde da Família (PSF) e obras de reforma e ampliação de hospitais e instalação de unidades de Pronto Atendimento (PA).

Do total de parcerias firmadas, nove convênios são para a construção de unidades do PSF nos seguintes municípios: Colniza, Gaúcha do Norte, Carlinda, Colíder, Nova Ubiratã , Nova Mutum, Canabrava do Norte, São José do Xingu e Porto Esperidião. O valor do repasse de incentivo financeiro é da ordem de R$ 82.548.84. O município entra com a contrapartida disponibilizando o local para construção do PSF.

Com o município de Itaúba (600 Km ao Norte da Capital), a Secretaria de Estado de Saúde firmou convênio de repasse de incentivo financeiro no valor total de R$ 166.147,35, dos quais R$ 33.299,47 com contrapartida da Prefeitura Municipal, visando a ampliação do hospital da cidade com a construção da cozinha e lavanderia. Outro convênio assinado foi com a Prefeitura de Santa Cruz do Xingu (1.230 Km a Nordeste), no valor de R$ 348.871.76, sendo a contrapartida do município de R$ 34.871, para a reforma e ampliação do Pronto Atendimento do município.

Também foi assinado convênio com os municípios de Ponte Branca (491 Km ao Sul), no valor total de R$ 158.959.92, sendo a contrapartida da Prefeitura de R$ 31.791.98, para a reforma do Hospital Bom Jesus, com São Félix do Araguaia (1.200 Km a Nordeste), no valor total de R$ 800.730.01, sendo a contrapartida do município na ordem de R$ 80.073.00, visando a ampliação do Centro de Saúde da cidade, com Nova Guarita (697 Km ao Norte da Capital), no valor de R$ 60.804.92, com contrapartida de R$ 6.080.49 do município, para a reforma da cobertura do Pronto Atendimento da cidade, e ainda, com Gaúcha do Norte (595 Km ao Norte), no valor total de R$ 382.488.07, dos quais R$ 38.248.981 de contrapartida da administração municipal, visando a ampliação, adequação e construção do centro cirúrgico, cozinha, lavanderia e enfermaria do Hospital Municipal de Gaúcha do Norte.

De acordo com Marcos Machado, os convênios representam um investimento no plano de interiorização da Saúde. A implantação e o fortalecimento de unidades do Programa Saúde da Família no Interior do Estado de Mato Grosso visa o melhoramento da atenção básica à saúde, assim como a instalação de unidades de saúde de Pronto Atendimento.

O PSF significa um serviço de atendimento básico à Saúde onde o cidadão deve ser atendido em suas necessidades quer sejam elas de vacinação, sorologia, tratamentos preventivos, informações sobre doenças como hepatite, tuberculose, acompanhamento do desenvolvimento do bebê (peso, medida, aleitamento materno) na própria localidade onde mora. Esse atendimento evita superlotações em prontos socorros, filas em hospitais públicos e proporciona agilidade e atendimento humanizado a quem precisa de atendimento básico de saúde.

O secretário interino de Saúde, Marcos Henrique Machado, também assinou na quarta-feira com a Fundação Universidade Federal de Mato Grosso termo de cooperação técnica visando a implantação dos serviços de infectologia e doenças tropicais no Hospital de Medicina Tropical “Emília Sacheti”, no âmbito da Saúde, potencializando a atenção à saúde. O hospital vai funcionar em sistema de co-gestão entre Estado e UFMT.

Pelo convênio, a Saúde se compromete a garantir o padrão de qualidade dos serviços prestados, bem como a capacidade operativa da unidade saúde, assegurar que seja prestado tratamento humanitário, digno e respeitoso a todos os usuários do serviço, conforme princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outros. À UFMT caberá disponibilizar os profissionais especializados em infectologia ou correlatas do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciência Médicas para exercerem atividades docentes e assistenciais nos ambulatórios e unidades de internação hospitalar, cooperar na estruturação e organização dos serviços de ambulatório e unidade de internação, bem como garantir à população acesso à assistência à saúde, entre outras competências previstas no termo de cooperação técnica.

De acordo com Marcos Machado, o hospital também será utilizado como hospital escola para o aperfeiçoamento do aprendizado dos alunos da UFMT na área de saúde para os cursos de graduação e pós-graduação em Medicina, Enfermagem, Nutrição e Serviço Social. O atendimento de pacientes do SUS será no âmbito de doenças infecciosas e tropicais devidamente regulados pela Central Estadual de Regulação para tratamento e diagnóstico.
No ano passado o Estado adquiriu o Hospital São Tomé, que estava desativado, e que será o primeiro especializado a tratar desse tipo de doenças em Mato Grosso. O investimento foi da ordem de R$ 1,9 milhão.