Saúde

Mais de 40 pacientes fazem operação no primeiro mutirão da Santa Casa em Cuiabá

O primeiro mutirão de cirurgias adultas realizado no Hospital Estadual Santa Casa foi concluído. Das 81 pessoas habilitadas para operações de vesículas, 48 fizeram o procedimento ontem, após dois anos de espera na lista do sistema de regulação. Em Mato Grosso, há aproximadamente 3,5 mil  pacientes à espera de uma cirurgia de vesícula. Conforme o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, a proposta é reduzir a fila não só para quem aguarda a retirada de vesícula, mas também para outras cirurgias eletivas.

“Vamos intensificar essas ações no Hospital Estadual Santa Casa e em todos os hospitais sob a tutela do Governo do Estado de Mato Grosso, não apenas nas cirurgias de retirada de vesícula, mas outras eletivas, como hérnia, para que a gente amenize essa angústia dos pacientes que estão aguardado há anos numa fila”, diz Gilberto.

A secretária-executiva da secretaria e diretora do hospital, Danielle Carmona, informa que a cirurgia de hérnia está programada para ocorrer no final do mês de setembro. Segundo ela, o objetivo é fazer uma triagem com 130 pacientes. Desses, os que forem considerados aptos participarão do próximo mutirão. Já o terceiro mutirão deverá atender pacientes que aguardam por cirurgia de varizes.

“A ideia é nós atendermos através de mutirões, porque com os mutirões na área de cirurgia geral possibilita uma alta rotatividade desses leitos com o tempo de permanência no leito de no mínimo 24h e mesmo com os mutirões os atendimentos de alta complexidade e média complexidade continuam, tendo em vista que é um hospital de grande porte, com 242 leitos”, explica Carmona.

O mutirão foi divido em duas etapas. Na primeira, ocorrida no dia (24.08), os pacientes passaram pela pré-consulta; consulta com o cardiologista, para avaliação do risco cirúrgico; e pela consulta com o cirurgião geral, que analisa as condições gerais de cada indivíduo.

Dos 129 pacientes esperados para esta fase da ação, 108 compareceram na triagem pré-operatória – destes, 81 foram habilitados para o procedimento. Na segunda etapa, iniciada neste sábado, 48 pessoas foram submetidas à cirurgia. As outras 33 operações estão previstas para o mês de setembro.

Uma das dificuldades enfrentadas pela equipe da secretária adjunta de Regulação, Fabiana Bardi, é a localização dos pacientes que estão aguardando a convocação para as cirurgias da lista de espera do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os números mostram que, do total de 461 pacientes, 154 não atenderam às ligações. Os dados mostram ainda que os números de 85 pessoas já não existem mais. Essa situação ocorre porque o paciente trocou de número e não informou o seu novo contato. Pacientes que estiverem nesta situação devem procurar uma unidade de saúde para solicitar atualização dos dados pessoais no sistema.

Redação Só Notícias