Saúde

Hospital de Lucas R.Verde fará cirurgias de catarata e pterígio a partir de agosto

O próximo dia 15, é a data prevista para que a Secretaria Municipal de Saúde de Lucas do Rio Verde comece a realizar as cirurgias de catarata e pterígio pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Hospital Municipal de Lucas do Rio Verde. Conforme o secretário Municipal de Saúde, Marcio Pandolfi, a secretaria está adquirindo 100 lentes, que devem chegar no início de agosto e deverão atender a demanda de cirurgias previstas para serem realizadas até o final deste ano.

“Nós compramos 100 lentes justamente com o objetivo de, até o final de 2005, diminuir consideravelmente a lista de espera que temos para as cirurgias de catarata e pterígio. Acredito que não vamos mais precisar comprar mais lentes neste ano, contando com o número de pessoas que aguardam as cirurgias. Mas isso é imprevisível, pois a partir do momento em que se abre um serviço sempre aparecem novos interessados nele e talvez outros pacientes surjam”, disse, ao Só Notícias.

Só Notícias apurou que existem cerca de 30 pacientes para realizar as cirurgias de catarata e 15 para as de pterígio. A previsão é que em 30 dias essas primeiras cirurgias sejam realizadas, mas até o final do ano devem ser realizadas uma média de 80 cirurgias, de ambas as enfermidades.

“O hospital já está credenciado, já temos profissionais credenciados, equipamentos, em fim está tudo certo. Agora só falta mesmo as lentes. Como as cirurgias serão todas realizadas pelo SUS, os gastos que ultrapassarem a verba disponibilizada pelo sistema serão arcados pela administração municipal”, completa Marcio.

Com a realização das cirurgias no município, diversos pacientes luquenses e da região deixarão de se deslocar até Cuiabá, o que significa economia de orçamento à prefeitura, que gasta em média R$ 300 por paciente se ele for com acompanhante e R$ 150 se for sozinho, entre hospedagem, alimentação e transporte. “Às vezes os gastos com o paciente aqui, são quase os mesmos com ele na capital. Mas aqui temos a vantagem do conforto e agilidade no caso de algum imprevisto surgir”, salientou.

Além das cirurgias de catarata e pterígio, a secretaria deve iniciar em breve a realizar cirurgias de adenóide e amídalas, pois um médico otorrinolaringologista [especialista em nariz, boca, ouvido e garganta] está sendo contratado. “Cerca de 30 pessoas já aguardam por essas cirurgias. A contratação desse especialista está quase acertada e com mais essas cirurgias, incluindo ainda algumas de joelho e outras especialidades, até o final deste ano acredito que sejam realizadas de 500 a 700 cirurgias”, completa Marcio.

As doenças
A catarata atinge, geralmente, pessoas acima de 50 anos de idade, ou, antes dessa idade, nos casos de traumatismo e congênitos (quando a criança nasce). É uma opacificação do cristalino que pode causar completa cegueira. A cura só é possível através de intervenção cirúrgica.

O pterígio atinge jovens acima de 15 anos. É um espessamento da conjuntiva. A conjuntiva é como uma pele que protege o olho. O espessamento é o crescimento dessa pele sobre a córnea, o que impede o paciente de enxergar. Sua retirada, também, só é possível cirurgicamente.

A recuperação de ambas as cirurgias leva em média 15 dias com aplicação diária de colírio. O paciente não chega a ficar um dia internado, salvo os casos raros de complicação. No sistema particular, uma cirurgia de catarata custa acima de R$ 1,8 mil e de pterígio R$ 500.