Saúde

Famílias de Sinop assistem a palestra sobre educação sanitária

As famílias do Bairro Jardim Imperial, cadastradas no Programa Barriga Cheia, da Secretaria de Assistência Social de Sinop, participaram hoje no Centro de Referência da Juventude, de uma palestra com sobre educação sanitária voltada para compra e consumo de alimentos.

O médico sanitarista Eros Luiz de Souza, que proferiu a palestra, enfocou alimentos de origem animal e vegetal e a forma que eles são comercializados pelos vendedores ambulantes da cidade. O médico orientou ainda, que antes de consumir o produto, as pessoas precisam observar o comportamento do vendedor, se ele espirrou olhando para a carne, se as luvas que está usando estão higienizadas, se os produtos estão sendo mantidos de forma adequada e se os prazos de validade estão sendo respeitados.

“As pessoas consomem muitos alimentos de ambulantes em Sinop, e produtos como hambúrger, salsichas e ovos necessitam de cuidados especiais. Além disso, procurei conscientizá-los que os produtos de origem animal como carnes, leites e queijos comercializados nos mercados podem apresentar riscos à saúde”, esclarece Eros.

Segundo o sanitarista, o sucesso da educação sanitária vai depender de uma auto-fiscalização, e para que isso ocorra, ele revela que irá procurar desenvolver um trabalho nas bases familiares (mães e comunidade) e posteriormente, nas escolas, transformando os alunos em grandes multiplicadores e fiscalizadores.

Para Eros, a maior dificuldade em atingir esta educação está na resistência oferecida pela própria população consumidora que acabou se transformando em agressor da fiscalização quando a Vigilância Sanitária impôs algumas regras para o comércio ambulante. “Hoje, procurei explicitar às famílias presentes que o papel da Secretaria de Saúde e da Vigilância Sanitária tem como objetivo final beneficiar à população, ou seja, a eles mesmos. Curitiba conseguiu alcançar a educação sanitária e maturar a população só após 20 anos de trabalho. Tenho certeza que Sinop conseguirá, mas será um exercício de paciência”.

O Programa Barriga Cheia distribui no Imperial, todos os meses, 150 cestas num valor aproximado de R$50. Este é o sétimo mês que o Programa está atuando no Bairro.

No início de 2005, 500 famílias se cadastraram para receber o auxílio da cesta básica, mas apenas 300 preencheram os requisitos exigidos pela triagem.

Antes o Barriga Cheia funcionava na Secretaria de Assistência Social, hoje ele está fragmentado em três pólos de atendimento: Centro de Referência da Juventude, no Jardim Imperial, Centro de Múltiplo Uso, no Bairro Menino Jesus e ainda na própria Assistência Social que atende o Setor Industrial e as adjacências do Centro.