Saúde

Estado começa a realizar cirurgias do “Pé Torto”

O Estado de Mato Grosso deu início, no último sábado, a uma série de cirurgias para correção da deformidade músculo-esquelética conhecida como Pé Torto, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As cirurgias vão atender a um grupo de 73 usuários do SUS que possuem a deformidade e serão realizadas graças à assinatura, pelo secretário de Estado de Saúde, Augustinho Moro, de um Termo de Cooperação Técnica com o Hospital Geral Universitário (HGU), no dia nove de novembro de 2005.

O diretor geral do Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac), Pedro D’Ornellas, informou que as cirurgias estão sendo realizadas todos os sábados. “A primeira cirurgia, realizada no sábado passado, foi para correção de um dos pés torto de uma criança com 10 meses de vida, de Diamantino”, explicou Pedro. “Na operação que será realizada no próximo sábado o paciente, de seis meses, tem os dois pés com a deformação congênita. A novidade é que é a primeira vez que esse tipo de cirurgia será realizada pelo Sus”. A operação acontecerá no Centro Cirúrgico do HGU.

Pelo Termo de Cooperação Técnica, a Secretaria de Estado de Saúde, por meio do Cridac, fornece um cirurgião ortopédico, um auxiliar de cirurgia e um anestesista para a realização da operação, fornecendo, ainda, toda a assistência pós-operatória ao paciente. “Essa assistência pós-hospitalar é que é importante”, ressaltou D’Ornellas. “Se ela não for prestada, através de curativos, reabilitação física e assistência psicologica o paciente pode acabar voltando a ficar incapacitado. Por isso ela é quase tão importante quanto a própria cirurgia”.

O Hospital Geral Universitário fornecerá a estrutura física para a cirurgia: o Centro Cirúrgico e o leito de retaguarda onde o paciente recebe os cuidados pós-operatórios por um período aproximado de 48 horas.

O diretor geral do Cridac informou que pretende realizar uma média de 16 cirurgias corretivas por mês. Em primeiro lugar ele quer zerar a demanda reprimida do próprio Centro e, a partir daí, atender a qualquer necessidade que possa vir a existir. “Como Mato Grosso vai ser o único Estado do Centro-Oeste a fornecer a cirurgia de Pé Torto, respeitando o princípio de gratuidade do SUS, é provável que a procura externa aumente. O Cridac, em cooperação com o Hospital Geral Universitário, está preparado para atender a essa necessidade”, garantiu.

Pedro D’Ornellas disse, ainda, que a equipe que realiza as cirurgias do Pé Torto vai fazer um acompanhamento científico, tendo por objetivo realizar um estudo dos casos para serem relatados como literatura médica em publicação médica especializada.