Saúde

Casos de febre chikungunya aumentam em Mato Grosso

Dados divulgados pela vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT), coletados até a última segunda-feira, apontam que os casos de febre chikungunya em relação ao ano passado subiram consideravelmente. Este ano já foram notificados de 12,8 mil casos, com dois óbitos em investigação em Cuiabá, um em Várzea Grande e um óbito confirmado na capital. Somente em Cuiabá já são 1,8 casos notificados, e em Várzea Grande 9,6 casos. Já no ano passado, 3 mil casos.

Em relação à zika, foram notificados 2,5 mil casos em 2017 e até agora, já são 805 notificações. Mato Grosso tem sido considerado um estado de baixa incidência para a doença.

Os casos de dengue somam 6.799, com uma incidência de 206 notificações a cada 100 mil habitantes. Apesar de a doença apresentar redução com relação ao ano passado, que registrou 12.085 casos, o Estado ainda está sendo considerado de média incidência da doença no país.

Duas mortes por dengue já foram confirmadas em Mato Grosso, nos municípios de Poconé e Serra Nova Dourada, e mais três estão sendo investigadas, sendo uma em Brasnorte e duas em Colniza.

“Os principais focos estão dentro das nossas residências, como caixas d’agua, vasos de plantas que acumulam água, piscinas, entre outros locais que podem proporcionar um ambiente propício para a deposição dos ovos e a reprodução dos mosquitos”, ressaltou Ludmila Sofia de Souza, coordenadora da Vigilância em Saúde Ambiental da SES.

As informações publicadas são baseadas em dados recolhidos até o mês de fevereiro de 2018, época em que a incidência de chuvas é grande, o que ocasiona uma maior facilidade para o surgimento de criadouros do mosquito e aumento dos casos das doenças. As informações estarão sendo coletadas até o dia 13 de junho e o levantamento atual deverá ser divulgado ainda na segunda quinzena deste mês.