Saúde

Casos chikungunya têm aumento de quase 200% em Mato Grosso

O primeiro boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (SES), neste ano, que registrou os dados acumulados nas últimas três semanas de dezembro, mostra que houve um aumento de 184% nos casos da doença em relação ao mesmo período no ano passado, passando de 1.275 para 3.617 casos.

A incidência acumulada em 2017 é de 109 casos por 100 mil habitantes, um aumento expressivo em se comparando com 2016 quando a incidência acumulada foi de 39.

Atualmente há um caso de óbito confirmado no município de Várzea Grande. Segundo uma análise dos casos por município, ainda são 80 municípios sem ocorrência de chikungunya. No mês de dezembro passado foram notificados casos em 61 municípios.

Em relação ao Zika Vírus, foram notificados 2.515 casos em 2017 contra 24.803 em 2016, uma redução de 90%. A incidência acumulada é de 76 casos por 100 mil habitantes.

Segundo uma análise dos casos por município, são 82 municípios sem ocorrência de casos. No mês de dezembro, foram notificados casos de 59 municípios.

Mato Grosso teve o primeiro caso confirmado laboratorialmente em junho de 2015. De lá para cá, o sistema SINAN registrou 7.818 casos de febre pelo vírus zika. Nesse período, os casos em gestantes estão sendo monitorados devido ao risco de aborto, malformações do feto, complicações neurológicas.

Até o momento não houve confirmação de óbitos por Zika em 2017, porém há 1 caso em investigação do município de Várzea Grande.

Já o número de casos de dengue notificados em 2017 é 11.909, uma redução de 60% em comparação aos 29.632 casos registrados no mesmo período de 2016. A incidência acumulada é de 360 casos por 100 mil habitantes. Os dados revelam, ainda, que o valor semanal de casos em 2017 evoluiu para baixo risco em relação aos valores notificados no mesmo período do ano anterior. No mês de dezembro, 125 municípios notificaram casos.

Constam no sistema Sinan cinco óbitos confirmados nos municípios de Alta Floresta, Canarana, Cuiabá e Sinop (2 mortes). Constam também, dois óbitos em investigação, sendo um em Cuiabá e um em Pontes e Lacerda.