Saúde

Campanha Nacional de Poliomielite será levada a todos os municípios do Estado

A Campanha Nacional de Poliomielite, em Mato Grosso, foi lançada oficialmente na manhã desta sexta-feira (10.06) em Cuiabá, numa parceria da Secretaria de Estado de Saúde com a Secretaria Municipal de Saúde da capital. O lançamento aconteceu na creche municipal Raphael Rueda, no bairro Pedra 90. A creche atende a mais de 200 crianças de 0 a 5 anos, idade em que precisam tomar a primeira dose da vacina.

A partir de amanhã, o Dia D da campanha, a vacinação acontece nos municípios de Mato Grosso. O objetivo é imunizar cerca de 290 mil crianças contra a poliomielite em todo o Estado. Em Cuiabá 29 unidades do Programa Saúde da Família, 30 centros de Saúde, cinco sedes da Saúde Rural e as cinco policlínicas estarão plenamente engajados na campanha. Os pais devem levar o Cartão de Saúde da criança quando forem aos postos de vacinação.

Ao ministrar a primeira gotinha da vacina contra a pólio, no evento de lançamento oficial da campanha, o secretário Municipal de Saúde, Aray Carlos da Fonseca, incentivou todos a colaborarem na campanha. “A vacina é para todas as crianças, de 0 a 5 anos de idade”, afirmou. “Todos os pais que tenham filhos nessa idade devem traze-lo a um dos postos, policlínicas e unidades básicas de Saúde para tomar a gotinha, mesmo que estejam resfriados, com diarréia ou outra doença. Quem não tiver filhos pode ajudar conversando com pais que não tenham conhecimento da campanha, animando-os a trazerem seus filhos aos postos”.

O superintendente de Atenção Integral à Saúde, Victor Rodrigues, lembrou que a campanha é parte do calendário do Ministério da Saúde e que a Secretaria de Estado de Saúde tem satisfação em participar na parceria. “Apoiamos a campanha com medicamentos e, nos casos em que formos solicitados, providenciamos viaturas e técnicos para fortalecer as ações no interior do Estado”, explicou.

A meta da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá é imunizar cerca de 48 mil crianças de 0 a 5 anos de idade e recebeu, para tanto, 67 mil doses da vacina. “Enquanto o Ministério da Saúde trabalha com uma meta de 95% de cobertura vacinal nós, aqui na Saúde municipal, estamos trabalhando com meta de 100%. O motivo disso é que a poliomielite não existe no Brasil, mas não podemos afrouxar a vigilância”, justificou. Ele mencionou o fato de países como a Índia, o Paquistão e a Nigéria ainda terem o polivírus ativo em suas fronteiras e que “devido à globalização, em dois dias pessoas desses países podem chegar até o Brasil carregando consigo o vírus da pólio. Por isso não podemos facilitar”.

A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação está marcada para o dia 28 de agosto, em todo o Estado. Nesse dia, as crianças devem voltar aos postos de vacinação para receber a segunda dose da vacina e garantir a imunidade contra a poliomielite, contribuindo para que a doença não retorne ao Brasil. Em cada uma das etapas da campanha, serão investidos R$ 100 mil do Ministério da Saúde (MS). A Secretaria de Estado de Saúde vai entrar com recursos humanos, apoio técnico e combustível.