Saúde

Aumento nos casos de dengue obriga Alta Floresta criar força-tarefa

Em apenas 15 dias, foram confirmados 52 casos de dengue no município. O número é considerado preocupante pelo departamento de Vigilância Ambiental e novas ações já estão sendo definidas. No ano passado, nesse mesmo período, foram registrados apenas dois casos.

Segundo o gerente do departamento, Claudiomiro Vieira, foi criada uma força-tarefa para diminuir os focos do mosquito transmissor e, conseqüentemente, o número de contaminações. “Contratamos 12 pessoas e também um caminhão para recolher todo o lixo que acumula água, não só em residências e estabelecimentos, mas em áreas verdes, terrenos baldios, calçadas”, explicou.

O município já solicitou autorização do Estado para a aplicação do fumacê, mas ainda não foi liberado. Equipes fazem o bloqueio com aplicação de inseticidas, com bombas monotorizadas, principalmente nas áreas de maior incidência. Vieira acrescentou que grande parte das contaminações ocorreram no setor H.

Outro trabalho que vem sendo desenvolvido pelo departamento é a notificação de residências e estabelecimentos que contribuirem para a proliferação da doença, deixando lixos em seus quintais. Uma lei vigente no município autoriza a multa para esses casos.

Os proprietários de imóveis em que forem encontrados focos ou locais propícios para a reprodução serão notificados e terão dez dias para se regularizarem. Caso não se adaptem poderão pagar multas que variam de R$ 168 até R$ 1,5 mil, dependendo das condições do imóvel e do número de focos encontrados.

Em outros municípios da região, como Sinop, também houve um aumento no número de casos de dengue este mês. São 79 confirmados até agora. Em Sorriso e Vera já foi feita aplicação do fumacê.