Saúde

Alta Floresta implanta protocolo para tratamento com hidroxicloroquina

O prefeito Asiel Bezerra (MDB) assinou, nesta terça-feira, um protocolo para tratamento da pandemia de covid-19 em Alta Floresta (300 quilômetros de Sinop). O documento prevê a utilização dos medicamentos cloroquina ou hidroxicloroquina em associação com azitromicina.

O decreto assinado por Asiel estipula que os procedimentos para aquisição dos remédios para “implantação concreta” do protocolo terão “prioridade absoluta de tramitação”. Determina ainda que a aquisição dos medicamentos será feita na modalidade registro de preços, na qual o município não fica obrigado a comprar a totalidade dos itens, “tendo em vista que há rumores que o Estado irá encaminhar kits aos municípios, todavia sem data específica”.

No decreto, Asiel citou o aumento de casos da covid-19 em Mato Grosso e que isso implaca em uma “maior taxa de ocupação dos leitos hospitalares e de UTI (Unidades de Tratamento Intensivo (UTI)”. Ao definir a implantação do protocolo, o prefeito afirmou que o objetivo é “tentar prevenir ao máximo os efeitos do novo coronavírus na população” do município.

O protocolo implantado em Alta Floresta é composto por um termo de ciência e consentimento, que deverá ser assinado pelos pacientes, além da indicação das doses sugeridas. O documento detalha que há estudos indicando a eficácia dos medicamentos, porém, deixa claro que não há “garantia de resultados positivos”. Cita ainda riscos de efeitos colaterais.

Conforme Só Notícias já informou, a prefeitura de Alta Floresta (300 quilômetros de Sinop) informou, nesta terça-feira, que três pacientes com diagnóstico confirmado de covid-19 estão em estado grave em um hospital privado. No dia anterior, eram dois em estado grave e um estado moderado. Há ainda um estado moderado no hospital regional.

Segundo o boletim da prefeitura, o número de casos confirmados aumentou de 243 para 244. Além dos internados, 203 já se recuperaram da doença. Outros quatro pacientes foram transferidos. Há ainda 207 casos suspeitos em investigação e a cidade contabiliza seis óbitos.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: assessoria/arquivo)