Política

Virginia Mendes diz ter se arrependido de ter ajudado eleger atual gestão em Cuiabá

A primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, afirmou em suas redes sociais que a gestão atual da prefeitura da capital fez muito pouco pela expansão e melhoria do projeto, contestou dados e trouxe um balanço do Siminina quando ela e o ex-prefeito Mauro Mendes finalizaram a gestão na prefeitura, em dezembro de 2016.

Virginia manifestou apoio para Roberto França e lembrou que sua esposa, “Iraci, foi a responsável pela criação do Siminina, um programa que revolucionou Cuiabá, tirando meninas da faixa de risco, da gravidez precoce e de outras situações de risco. Tornando-se um exemplo. Esse primeiro passo dado por Iraci e Roberto precisa ser reconhecido”, destacou a primeira-dama.

Virginia citou ainda que ao assumir como primeira-dama de Cuiabá, em 2013, encontrou o Siminina ‘sem a devida atenção por parte das gestões que vieram depois de Iraci e Roberto’. O programa foi a menina dos olhos da primeira-dama durante os quatro anos da gestão Mendes na prefeitura.

Em dezembro de 2016, quando deixou a prefeitura, o projeto contava com 1.500 crianças e adolescentes desenvolvendo atividades em 17 unidades. Ampliando em oito vezes o número de meninas atendidas de quando ela e Mauro assumiram, que eram em torno de 198, em janeiro de 2013. A primeira-dama disse ainda que a atual gestão não fez quase nada em prol do programa. “Vejo divulgação por aí comemorando que o Siminina tem hoje 1.600 meninas, um crescimento de 100 crianças em quatro anos. Acho muito pouco para quem assumiu com tantas promessas. Dizer que a atual gestão assumiu o Siminina com 200 crianças é uma mentira. E isso sim me deixa triste, pois todos sabem que isso não é verdade”, expôs.

Ao final da publicação, Virginia se diz arrependida de ter ajudado eleger o atual prefeito, Emanuel Pinheiro, e relembrou o ‘caso do paletó’. “Sinto tristeza e arrependimento de ter ajudado a eleger uma pessoa que saiu em rede nacional com os bolsos do paletó caindo dinheiro”, concluiu.

Só Notícias (foto: Caroline De Vitta/arquivo/assessoria)