Política

Vereadores de Cuiabá invadem prédio antigo da Assembléia Legislativa

 A “porta na cara” que receberam do governador Blairo Maggi pela manhã – que tentou justificar cumprimento da agenda governamental – levou os vereadores de Cuiabá a uma medida extrema: ocuparam no começo da tarde desta quinta-feira as instalações do Palácio Filinto Müller, antiga sede da Assembléia Legislativa. A medida visa forçar o Governo a abrir negociações sobre o edifício. Eles alegam que o prédio pertence por lei ao Legislativo de Cuiabá. Com a mudança da Assembléia para seu novo prédio, o palácio foi entregue ao Governo, que quer montar no local quatro secretarias.
     
A questão virou queda de braço. Pela manhã, os vereadores aprovaram a mensagem de dispondo sobre a alteração da Lei 879/96. A mensagem foi apresentada pelo líder do prefeito, Guilherme Maluf (PSDB). O prefeito Wilson Santos pede acréscimo do artigo quatro, que prevê o retorno do imóvel da antiga sede da Assembléia Legislativa à Câmara Municipal de Cuiabá. Em seguida, os vereadores tentaram falar com o governador, mas a comissão, liderada pela vereadora Chica Nunes (PSDB), não chegou sequer na ante-sala do gabinete no Palácio Paiaguás.
     
Revoltados, os vereadores cumpriram a ameaça. No começo da tarde, eles entraram na sala onde funcionava a Presidência da Assembléia Legislativa, aproveitando a escada de acesso pela garagem. Apenas quatro policiais faziam a segurança do prédio, cujas chaves haviam sido entregues na quarta-feira pela manhã ao governador Blairo Maggi pelo presidente do Legislativo, Silval Barbosa (PMDB). “Só vamos sair daqui depois de uma definição clara em torno desse assunto” – disse o vereador Maluf.
     
A ação é comandada pela vereador Chica Nunes (PSDB), presidente da Câmara Municipal. Pela manhã, depois da tentativa de falar com Maggi, a vereadora tucana fez duras críticas ao chefe do Executivo. “Ele deveria ter mais respeito aos vereadores de Cuiabá” – lamentou. O secretário-geral da Assembléia Legislativa, ex-deputado Roberto Nunes, que vem a ser irmão da vereadora-presidente do Legislativo de Cuiabá, abriu as negociações em busca de um entendimento.
     
A disputa pelo Palácio Filinto Muller corre o risco de acabar indo para o campo mais político. O ex-governador Dante de Oliveira, presidente do Diretório do PSDB no Estado, e também a sua esposa, deputada federal Thelma de Oliveira, se manifestaram solidários com os vereadores. Eles estão no movimento de ocupação do prédio.