Política

TRE julga hoje recurso de Chicão Bedin sobre suposta compra de votos em Sorriso

O TRE deve julgar hoje à tarde o recurso do ex-candidato a prefeito de Sorriso Chicão Bedin no processo 312/2004, que pede investigação judicial eleitoral de suposta compra de votos nas eleições do ano passado. A coligação Sorriso Para Todos denunciou a coligação pela qua o prefeito Dilceu Rossato se elegeu de suposta compra de votos. Após as investigações concluídas, em março deste ano, o juiz Cláudio Zeni Guimarães convenceu-se que “havia uma orquestração para incriminar Rossato”. De denunciante, Chicão Bedin acabou réu sendo condenado a seis meses de detenção, pagamento de multa por ação temerária e de má fé. O magistrado sentenciou que ilicitude tinha até contabilidade, planilhas de caixa, onde se comprova que uma pessoa da coligação de Bedin recebia dinheiro com certa regularidade para bancar despesas. Uma das testemunhas teria recebido R$ 2,6 mil. Outras receberam quitação de parcelas de consórcio e vários depósitos em conta corrente em nome das próprias testemunhas ou de seus parentes.

O ex-prefeito Chicão Bedin recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral que hoje julgará seu recurso, em sessão marcada para às 18:00hs. Só Notícias apurou que o relator é o desembargador Renato Cesar Vianna Gomes. Um jurista ouvido por Só Notícias acredita que “há grandes chances do TRE anular a sentença dada pela Justiça da Comarca de Sorriso”. Se isso ocorrer, o processo volta para a vara eleitoral em Sorriso e as investigações das denúncias da coligação Sorriso Para Todos devem continuar.

Chicão Bedin é defendido pelo advogado e ex-ministro Henrique Neves da Silva e Celso Lins. O prefeito Dilceu Rossato é defendido pelos advogados Zilaudio Pereira e Irineu Roveda Junior.