Política

Sorriso define toque de recolher das 22h às 5h e prefeito alerta para risco de prisão

O prefeito Ari Lafin acaba de definir decreto estabelecendo o toque de recolher para evitar aglomerações de pessoas e reduzir riscos de contágio do Covid-19. As pessoas ficam, a partir de amanhã, proibidas de andar nas ruas, avenidas, praças e ficarem em bares entre as 22h às 05h. A medida vai até dia 30. Os que desrespeitarem a decisão correm o risco de serem presos, alerta o prefeito.

Não estão inseridos no toque de recolher quem trabalha em estabelecimentos hospitalares, clínicas veterinárias, clínicas odontológicas e clínicas médicas em regime de emergência;  farmácias e laboratórios; funerárias e serviços relacionados; serviço de segurança pública e privada; serviços de táxi e aplicativo de transporte individual remunerado de  passageiros; profissionais da área fim da Saúde; servidores públicos das áreas de fiscalização das secretarias municipais, Núcleo Integrado de Fiscalização-NIF, PROCON e ouvidoria, quando em pleno exercício da função;

O toque de recolher também não será aplicado para pessoas que desempenham atividades inerentes a circulação de cargas de qualquer espécie que possam acarretar desabastecimento de gêneros necessários à população;  serviços de manutenção, de reparos ou de consertos de veículos, de pneumáticos, de elevadores e de outros equipamentos essenciais ao transporte, à segurança e à saúde, bem como à produção, à industrialização e ao transporte de alimentos e de produtos de higiene; estabelecimentos que comercializam alimentos, bebidas e gás de cozinha, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência, cafés, distribuidoras de bebidas, distribuidoras de gás de cozinha.

Será permitida excepcionalmente a circulação de pessoas, das 22h às 5h, para fins de acesso aos serviços essenciais ou sua prestação, comprovando- se a necessidade e urgência, preferencialmente, de maneira individual, sem acompanhante; quando em trânsito decorrente de retomo ou partida de viagens oriundas do terminal rodoviário de Sorriso, no aeroporto regional Adolino Bedin.

A modalidade delivery (entrega de produtos em casa) podem funcionar neste período mas com “entrega em casa ou no trabalho, não sendo permitida a retirada no local”.

A definição do decreto ocorreu após reuniões com vereadores, dirigentes da CDL e ACES e forças de segurança.

Sorriso teve aumento no número de casos positivos e mortes. No boletim de hoje foram confirmados mais 50 pessoas com a doença.

“Estamos há longas datas tentando adquirir aparelhos respiratórios. Estamos buscando contatos até com empresas terceirizadas para continuarmos lutando por UTIs. A estrutura limitante, o aumento de casos, ainda mais neste período de seca, entre outros fatores, foram determinantes neste momento, mais do que nunca, para precisarmos ser enérgicos”, explicou o prefeito, ao baixar o decreto.

Só Notícias (foto: Ney Pinheiro)