Política

Sindicato de empresas pede apoio de Botelho para governo rever decreto limitando eventos em MT

O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), se reuniu com diretores do Sindicato das Empresas de Eventos e Afins de Mato Grosso (Sindieventos-MT) que solicitaram apoio para que seja ajustado o decreto estadual, publicado semana passada, que proíbe eventos com mais de 100 pessoas no Estado devido ao aumento nos casos de Covid. A presidente Alcimar Moretti expôs que o setor está, desde o ano passado, fortemente afetado pela pandemia e mais de 5.200 empresas filiadas ao sindicato foram prejudicadas por conta das medidas restritivas adotadas durante os 11 meses. “O nosso setor é o único que foi 100% afetado e nós viemos buscar o apoio da Assembleia Legislativa. Estamos sem faturamento, demitimos funcionários. Nós movimentamos 53 segmentos da economia e precisamos ser ouvidos”, expôs.

O sindicato pede que haja flexibilização das regras estabelecidas pelo decreto 783/2021, do governo do Estado, e seja liberada a realização de determinados tipos de eventos que, segundo Moretti, não trazem aglomerações e nos quais podem ser adotadas as medidas de biossegurança necessárias para evitar a disseminação da Covid. “Há muitos eventos possíveis de serem controlados, como os corporativos e as feiras técnicas e agropecuárias, que são realizadas em locais abertos, com distanciamento entre os stands e pouca circulação de pessoas”, salientou, através da assessoria.

O presidente Eduardo Botelho afirmou que buscará diálogo junto ao governo para amenizar as dificuldades enfrentadas pelo setor. “Vamos trabalhar em todos os sentidos para ajudá-los porque a situação deles é muito complicada. Vamos levar a discussão ao governo do estado e solicitar a possível liberação de eventos controlados, onde possam ser adotadas medidas de segurança sanitária. Acho que pode haver ajustes no decreto”.

A reunião foi articulada pelo deputado Carlos Avalone (PSDB), que preside o Observatório Socioeconômico da Assembleia.

Só Notícias (foto: Mauricio Barbant)