Política

Servidores públicos federais continuam em greve

Servidores públicos federais em greve, desde o dia 2 de junho, marcham até o Palácio do Planalto para solicitar uma audiência com José Alencar, presidente em exercício durante o período em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa da reunião do G-8 na Escócia. Entre os manifestantes, estão representantes da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), da Saúde, Advocacia Geral da União (AGU) e Fundação Nacional do Índio (Funai).

Do alto de um carro de som, a coordenação da greve diz que o governo liberou R$ 3 bilhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) aos produtores rurais em vez de atender às reivindicações dos servidores federais, que seriam “a base social deste governo”. Eles também protestam pelo fato de alguns órgãos, como a AGU, terem cortado o ponto dos servidores nesse período de greve.

O ato desta tarde pede a abertura de negociações com os grevistas. Neste momento, cerca de 150 pessoas, segundo o policial militar Eduardo de Oliveira, estão reunidas em frente ao Ministério do Planejamento, ponto de partida da manifestação