Política

Senador mato-grossense volta a defender independência do Banco Central

O senador Jayme Campos (DEM) voltou a defender a independência do Banco Central. Para ele, isso acontece na maioria dos países desenvolvidos em todo o mundo e tem efeito positivo na economia. Nos 100 primeiros dias do governo do presidente Jair Bolsonaro, foi anunciada uma Medida Provisória prevendo a independência do Banco Central, assunto que é debatido no Senado desde a década 1980.

“É fundamental para que o presidente da instituição que trata da política monetária do Brasil possa atuar de acordo com suas convicções técnicas, mas dentro de parâmetros legais”, assinalou o senador mato-grossense logo após audiência com o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto.

Antes de ter seu nome homologado pelo Senado, após indicação do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, Roberto de Oliveira Campos Neto esteve com o senador Jayme Campos que reafirmou e assinou proposta que assegura independência da instituição.

“Veja que o mercado financeiro exige medidas rápidas e eficientes para fazer frente à volatilidade do dólar, por isso que é importante que o presidente do Banco Central tenha independência, bem como os demais dirigentes da instituição”, assinalou o senador Jayme Campos apontando para uma proposta híbrida, ou seja, o presidente da República e o ministro da Economia, indicam, o Senado aprova e a partir da nomeação do mesmo ele tem independência entre outras prerrogativas e até mesmo exigências, como a quarentena em ocupar determinados cargos após sair do Banco Central.

O senador explica que a atipicidade do mercado econômico e as alterações em todo o mundo, elevaram o dólar para quase 6% no mês de novembro, um patamar que exige medidas, pois se a alta é boa para alguns setores, para outros ela se torna preocupante, citando problemas como a alta dos combustíveis, do gás de cozinha entre outros produtos de consumo popular.

A audiência do presidente do Banco Central foi para tratar de assuntos da empresa de fomento do governo de Mato Grosso, Desenvolve MT e foi acompanhada pelo secretário Carlos Fávaro que externou a determinação do governador Mauro Mendes em usar a instituição para promover a geração de emprego e renda, revertendo assim a crise econômica.

“O governador Mauro Mendes que utilizar a Desenvolve MT para promover micro e pequenos negócios em todo o Estado, gerando emprego e renda e principalmente socializando funções que permitirão um aquecimento ainda maior da economia local”, disse Carlos Fávaro para quem a instituição poderá emprestar recursos com juros zeros ou subsidiados para atender a demanda e retirar milhares de pessoas da informalidade.

A Gazeta (foto: Só Notícias/Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)