Política

Secretário afirma que Estado criou 526 leitos e deputado Emanuelzinho deve se informar melhor

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, afirmou, hoje, que o governo do Estado criou e pactuou 526 novos leitos para os pacientes de Covid-19, desde março quando começou a pandemia. São 159 UTIs e 367 enfermarias e a rede pública de Mato Grosso (Estado e municípios) conta hoje com 929 leitos: 669 de enfermaria e 260 Unidades de Tratamentos Intensivos.

Ele desmentiu a declaração do deputado federal Emanuelzinho Pinheiro que acusou governador Mauro Mendes de ter prometido mil leitos de UTI e não ter cumprido. “Primeiro que nem o governador nem ninguém do Governo prometeu mil UTIs. As entrevistas são públicas e podem ser consultadas por qualquer cidadão. O que sempre enfatizamos é que o Estado está trabalhando incansavelmente para estruturar a rede pública de Mato Grosso para contarmos com mais de mil leitos, somando enfermarias e UTIs. E quando falamos de rede pública, falamos dos leitos disponibilizados pelo Estado e pelas prefeituras”, rebateu Carvalho.

O secretário acrescentou que o Estado continua atuando em parceria com os municípios para construir mais 204 UTIs em todas as regiões de Mato Grosso. Desde novas unidades de tratamentos intensivos nos hospitais regionais, leitos contratados em unidades filantrópicas, até o custeio de UTIs criadas pelas prefeituras em hospitais municipais. “Enquanto o Estado trabalha dia e noite para viabilizar essas UTIs, outros tiram o tempo para propagar acusações sem fundamento. Sugiro que o deputado ajude Cuiabá a criar UTIs novas”, afirmou.

Na semana passada, o Estado cumpriu com o que foi pactuado em reunião realizada com a prefeitura de Cuiabá, e entregou mais 20 UTIs no Hospital Estadual de Santa Casa. Na capital, também foram abertas outras 50 UTIs na Santa Casa, 30 no Metropolitano e outras 30 estão em processo de abertura na mesma unidade.

“Já a Prefeitura de Cuiabá, que havia prometido criar 20 novas UTIs, não entregou nenhuma. Até anunciou a entrega no início da semana, mas nenhuma unidade de tratamento intensivo até agora foi disponibilizada à regulação. Por enquanto, só remanejou as UTIs de outras especialidades e transformou em UTIs covid. Espero que essas unidades sejam de fato entregues, porque a população está precisando com urgência de mais ação prática e menos anúncio vazio”, completou.

 

Só Notícias (foto: Só Notícias/Diego Oliveira/arquivo)